| Futebol

"Estrangeiro", Eduardo da Silva fala sobre readaptação ao Brasil

Atacante do Flamengo retorna ao país após 15 anos fora e diz sentir as diferenças também no estilo de futebol

Eduardo da Silva Flamengo gol Atlético-MG Brasileirão (Foto: Agência Getty Images)Eduardo da Silva ainda se sente um "estrangeiro" no Brasil (Foto: Agência Getty Images)

Após 15 anos na Europa, Eduardo da Silva retornou ao Brasil. Há pouco menos de dois meses de volta a sua cidade natal, o Rio de Janeiro, o atacante se sente ainda como um "estrangeiro". Em entrevista ao site da Fifa, o jogador afirma que sente as diferenças no dia a dia e também no estilo de futebol dos campeonatos europeus e do brasileiro.

- Eu nasci aqui, mas ainda estou acostumado lá, né? Passei 15 anos na Europa. Ainda estou com a mentalidade de lá, sabe? Quando vou sair, já sinto as diferenças (em relação à Europa). Eu me sinto como um estrangeiro, sabe? O trânsito é diferente, o supermercado, as lojas… Não estou acostumado. Eu saí de uma comunidade, entende? Fui para lá (Croácia) e me acostumei com a vida de lá. Agora voltei, mas é diferente da Europa. O trânsito também… Estou um pouco perdido - disse.

Nos anos em que atuou no Dínamo de Zagreb, no Arsenal e no Shakhtar Donetsk, Eduardo da Silva não era tão conhecido assim no Brasil. Podia vir ao país passar alguns dias de férias sem que fosse tratado como uma "celebridade". Hoje, no Flamengo, diz ser diferente. Ao sair na rua, é reconhecido. Outro fator que julga ser tão diferente.

- Você liga a televisão, o rádio, e estão sempre falando de futebol. Ainda mais no Flamengo, né? Eu vinha para o Brasil de férias quando jogava no Dínamo - e mesmo quando comecei a jogar pela seleção da Croácia - sempre comprava pão na mesma padaria, e as pessoas não sabiam quem eu era. Eu andava tranquilão. Hoje em dia que está assim, né? O pessoal agora está me reconhecendo - afirmou.

Com boas atuações e gols desde que foi apresentado no Rubro-Negro e pode fazer suas primeiras partidas, Eduardo ganhou o carinho da torcida. Porém, à Fifa, não soube dizer qual era o "segredo" do seu sucesso de maneira tão rápida. Afirmou apenas que vive um momento importante na sua carreira.

- Em todos clubes que passei, deixei uma imagem positiva. É claro que estou vivendo um momento importante da minha vida. E ainda é no Flamengo - contou, completando, sobre o Campeonato Brasileiro e a diferença do futebol europeu e brasileiro: - Pensei que seria fácil mesmo, mas quando cheguei, vi que é totalmente diferente do que eu imaginava. O Campeonato Brasileiro é bem difícil, bem competitivo. As aparências enganam. Aqui, são muitos os jogadores técnicos. Todo mundo gosta da bola, entende?

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.