| Futebol

Estrangeiros enfrentam dificuldade para decolar com a atual administração do Flamengo

Com a chegada de Trauco e Conca, clube soma seis gringos

flameng - Estrangeiros enfrentam dificuldade para decolar com a atual administração do Flamengo

Desde 2014, os times podem registrar até cinco jogadores estrangeiros na súmula de cada partida. Desde então, a corrida por jogadores de outros mercados, especialmente dos países sul-americanos, se intensificou. Não foi diferente com o Flamengo, que, nesta quinta-feira, apresentou o lateral-esquerdo peruano Miguel Trauco e, nesta sexta-feira, fará o mesmo com o meia argentino Darío Conca. Com a chegada dos dois, o elenco profissional soma seis jogadores nascidos fora do Brasil.

A aposta não é muito diferente da maioria dos clubes brasileiros. Com dificuldade em encontrar ou bancar a contratação e salários de jogadores do país e egressos da Europa, os dirigentes aumentam o leque. Foi dessa forma que o diretor de futebol Rodrigo Caetano observou Trauco, de 24 anos, que foi considerado o melhor jogador do último campeonato peruano pelo Universitario.

Os estrangeiros da

gestão bandeira

O rubro-negro aproveitou o fim do contrato do lateral com seu ex-time para trazê-lo sem custos, o que a diretoria diz ser o modelo ideal de negociação. Antes de fechar o vínculo por três anos, o clube se mobilizou para conhecer o jogador que será reserva de Jorge - o titular está na mira de grandes clubes da Europa.

- Quando buscamos um jogador, vemos suas características, o comportamento e a questão negocial. Ele teve propostas, inclusive do América do México, que, hoje, talvez tenha maior capacidade financeira - explicou Rodrigo Caetano, nesta quinta-feira, no Ninho do Urubu, durante o primeiro dia da concentração dos jogadores na pré-temporada. - O Zé Ricardo falou duas vezes com o (Ricardo) Gareca, treinador da seleção peruana, sobre ele. O Gareca passou pelo Palmeiras e tem uma noção do futebol brasileiro. Com o Paolo (Guerrero) foi da mesma forma, nos passou boas informações sobre o Trauco fora de campo.

Ainda sem falar português, Trauco recebeu ajuda em sua primeira coletiva de imprensa de Rodrigo Caetano. Em espanhol, ele lembrou que a grande quantidade de estrangeiros vai ajudá-lo em sua adaptação e disse que pensa em se matricular em aulas para aprender português. O lateral disse ainda que conhece bem outro peruano que joga no Flamengo: Guerrero.

- O conheço bem da seleção, sei os movimentos do Paolo em campo e quero aproveitar ao máximo isso - disse Trauco. - Estou muito feliz de estar aqui. A expectativa é grande. Sei que o Flamengo tem muita história no Brasil e sei da vitrine que pode dar. Eu tinha várias opções, mas escolhi pela trajetória e pelo que pode me abrir adiante.

Para trazer Conca, que será apresentado com mais pompa nesta sexta-feira, o rubro-negro também não precisou pagar qualquer valor ao Shanghai SIPG, da China. O clube detentor dos direitos econômicos emprestou o meia por um ano para que ele se recupere de uma lesão no joelho esquerdo. A partir do momento em que puder jogar, o que está previsto para acontecer em maio, o Flamengo pagará um parcela do salário mensal de cerca de R$ 2 milhões do argentino no clube chinês.

O passaporte de outro país não é garantia de sucesso no Flamengo. Desde que o grupo liderado pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello assumiu o rubro-negro em 2013, 14 estrangeiros já vestiram o uniforme do clube. Dentre eles, estão os atacantes Eduardo da Silva, nascido no Rio e naturalizado croata, e Marcelo Moreno, que tem nacionalidade brasileira e boliviana.

Poucos foram os que tiveram grande sucesso. Quem mais entrou em campo foi o argentino Canteros. O volante fez 88 partidas de 2014 até o ano passado. Contratado ainda na gestão anterior, no último ano de Patrícia Amorim, o volante Cáceres vem logo atrás, com 84 jogos ao longo de quatro temporadas. Nenhum dos dois deixou saudade na torcida quando saiu do clube. No elenco atual, Guerrero é o único que pode superar essa marca em 2017. Contratado em 2015 numa operação financeira de R$ 40 milhões, o peruano tem 61 partidas.

Na temporada passada, o Flamengo fez um grande esforço financeiro em longas negociações para trazer três jogadores estrangeiros que ainda não renderam conforme o esperado: o zagueiro argentino Donatti, o volante Cuéllar e o meia Mancuello. Oficialmente, o clube nega que eles estejam de saída. A estratégia é utilizada para não desvalorizar o patrimônio do clube.

Embora o discurso seja de ter paciência com os atletas para que desenvolvam o futebol que o fizeram ser contratados, eles podem deixar o elenco caso recebam e aceitem uma oferta. O rubro-negro tenta evitar o que aconteceu com Lucas Mugni. Contratado em 2014, quando assinou por quatro temporadas. Nesta semana, conforme noticiou o Globoesporte.com, o meia argentino aceitou a rescisão contratual e receberá R$ 1 milhão, metade do que previa seu contrato.


Seja o primeiro a comentar

Fonte: http://oglobo.globo.com/esportes/estrangeiros-enfrentam-dificuldade-para-decolar-com-atual-administracao-do-flamengo-20768388

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.