O Flamengo vive o ápice de sua temporada. Invicto há sete jogos, o time vem crescendo de produção após a chegada de seu principal reforço, o meia Diego, e da recuperação do futebol de alguns jogadores que viviam sob desconfiança da torcida. Por trás disso está o trabalho do técnico Zé Ricardo, que conta com mais do que apenas 11 atletas.

"Conto com todos (os jogadores). O Flamengo tem um plantel grande, e a meritocracia faz o atleta jogar mais ou menos", disse o treinador, em entrevista ao ​Lance!.

Além de dar confiança aos jogadores, Zé Ricardo tem acertado nas substituições no decorrer das partidas. Contra o Coritiba, por exemplo, o treinador lançou Marcelo Cirino, que fez um dos gols da vitória por 2 a 0. Contra a Chapecoense, foi a vez de Leandro Damião sair do banco de reservas para balançar as redes e dar uma assistência no triunfo por 3 a 1.

O atacante Fernandinho tem um histórico ainda melhor. O jogador foi acionado por Zé Ricardo durante a partida contra o Figueirense, pela Copa Sul-Americana, e fez o gol da classificação rubro-negra. Contra a Ponte Preta, no Brasileirão, ele também marcou e deu a vitória ao Fla.

Nem todas as decisões de Zé são unanimidades, mas a estrela do comandante tem falado mais alto. Contra o Palmeiras, o técnico escolheu tirar Diego do time após a expulsão de Márcio Araújo. A decisão não agradou os rubro-negros, que acabaram esquecendo o "deslize" quando o treinador lançou Alan Patrick no segundo tempo e o meia fez o gol do Flamengo na partida.

O caso mais recente foi o de Emerson Sheik. Encostado na Gávea, o experiente atacante foi utilizado contra o Palestino, na Copa Sul-Americana, e marcou o gol da vitória rubro-negra fora de casa.

​​