| Futebol

Everton “Fundamental” Ribeiro

flameng - Everton “Fundamental” Ribeiro

Atribuem a Voltaire a citação que repito hoje: “Posso não concordar com uma só palavra do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-las”.

Entendendo que a liberdade de opinião nos move para um lugar melhor e discordando de quase tudo que meu querido Vinny Dunga disse mais cedo, me senti obrigado a vir aqui defender a contratação de Everton Ribeiro. Mais que isso, preciso dividir com vocês a sensação que tenho de que Everton Ribeiro, além de fundamental, cairia como uma luva em nosso esquadrão.

Deixo aqui para o início o meu ponto de vista sobre minhas concordâncias. Quase ninguém no mundo da bola vale um leilão. Com a chegada de nossa austeridade e o recente e caloroso abraço da organização que hoje nos move, precisamos ser precisos, criativos e encantadores por nosso projeto, organização e camisa.

Não podemos (ainda), e nem devemos (neste caso específico) competir com os aportes insustentáveis e hiperinflacionados que só o mecenato pode propiciar a alguns. Everton não vale um leilão, mas vale e MUITO o nosso esforço financeiro.

Concordâncias de lado, comecemos pelo lado, ou melhor, pelos lados! Onde discordo bastante do meu querido colega. Everton Ribeiro é meia, até concordo, mas um meia que se notabilizou pela atuação pelos extremos do gramado.

Ainda que eu ache a discussão rasa, é perfeitamente possível que um ponta seja meia, mas não necessariamente e apenas um atacante. Daí, por exemplo, surge a famosa definição do meia-atacante.

Everton Ribeiro pode e deve ser classificado como um meia-atacante. Ainda que possua qualidade para atuar como meia um pouco mais centralizado, tende a sofre com a queda de rendimento.

A maior parte de sua inventividade e criatividade como meia acontece a partir dos passes em diagonal, buscando sempre o povoamento da área. Isso não impede que, por vezes, ele ocupe a faixa central da “meia”, mas isso será lembrado mais tarde.

Atuando prioritariamente pelo lado direito (André Santos e Luiz Antônio que o digam), Everton também consegue atuar pelo lado esquerdo, onde funciona como um ponta sem os pés trocados, posição ocupada atualmente pelo Everton, o Cardoso, camisa 22.

Acho que cabe ressaltar que a relação de Everton Ribeiro com a faixa lateral do gramado começou junto com sua carreira, quando atuava como lateral esquerdo. Foi trocar de posição em sua passagem pelo São Caetano, entre 2008 e 2010. A partir dessa troca no posicionamento, não só rendeu, como explodiu no futebol nacional.

Entendo também, que alguns homens de pouca fé prefiram o apego à qualidade e entrega defensiva de nossos pontas atuais. Sou partidário dessa ajuda, desde que o ponta/meia/meia-atacante não ajude na defesa e atrapalhe no ataque.

Até pelo seu início como lateral, Everton Ribeiro possui duas grandes qualidades. Senso defensivo apurado e compreensão tática do jogo. Isso já o colocaria no mesmo patamar de utilidade defensiva que a maior parte daqueles que brigariam com ele pela posição.

Mesmo que eu pudesse crer na inverdade que ele marca como o Gabriel, e combinemos que isso não seria um elogio, existe uma diferença qualitativa brutal na parte ofensiva entre ele e o tão útil e necessário Jamal.

Dentro do plano tático atual, Everton Ribeiro não só se encaixaria em qualquer um dos extremos do nosso meio ofensivo, como conseguiria dar fluidez ao trio de meias, possibilitando uma troca intensa de posições entre ele, Conca, Diego e talvez até Ederson.

Deste modo, teríamos quatro nomes de grande qualidade para três posições, com Ederson ainda podendo ser coringa em disputa com Guerreiro em um esquema sem centroavante.

Adaptado ao 4231 preferido de Zé, Everton Ribeiro já atuou pela direita, tendo 2 volantes à retaguarda, Julio Baptista atuando no centro do meio e com Willian Bigode como um ponta corredor pela esquerda, com chegada na área. Na frente, o Cruzeiro contava com o móvel Ricardo Goulart, que no fatídico golaço da Copa do Brasil de 2013, abre espaço (como faz Guerrero com frequência) e puxa a marcação para a penetração diagonal do (olhem que incrível!) PONTA Everton Ribeiro, que começa a jogada lá atrás, quase marcando nosso finado em vida André Santos.

Em formações com três volantes, no 4321, que mais se assemelhava a um 433, Everton Ribeiro seguiu na ponta, tendo algumas aparições também pelo lado esquerdo, com facilidade incrível para troca de posições.

É justamente essa polivalência, somada ao seu drible agressivo e boa assistência e finalização que o qualificam a ser, não apenas necessário, mas fundamental ao nosso elenco.

Everton Ribeiro, no mundo Árabe, é dono do meio de campo, encosta e chega com facilidade na frente. Até por sobrar por aqueles lados. Ainda que ele não chegue voando, temos peças suficientes para que sua volta seja na boa e sem pressa. Ano que vem, é bom lembrar, não temos Conca.

Tragam este cara logo! Vistam-no com a camisa 7 e peçam, a cada partida incrível, que ele mande um beijo especial para o Viny Dunga.

Que Deus perdoe as pessoas que preferem o Gabriel.

SRN

Thigu Soares
Twitter:@thigusoares

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/05/everton-fundamental-ribeiro/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.