​– Talvez ao Sport interesse muito, mas nenhum fato jurídico muda o que nós fizemos no Clube dos 13. O Flamengo é o campeão brasileiro de 1987 e o Internacional, vice. Mesmo com o Inter sendo nosso rival, vou manter a coerência com o que decidimos – afirmou Odone. 

Na visão do ex-presidente, não há como contestar a legitimidade do título do Flamengo pois houve consenso entre as equipes do Clubes do 13, que organizaram o torneio, que não seria feito o cruzamento com as equipes do Módulo Amarelo. 

– Quando chegou a exigência da CBF, decidimos que iríamos manter nossa coerência e recusar o cruzamento, é isso que importa. Houve unanimidade dentro dos clubes dos 13 sim, está na ata! O Eurico Miranda foi à CBF e dialogou com eles. O que aconteceu em 1987 não pode ser mudado por ninguém – argumentou.

– Aquela atitude da CBF pegou todo mundo de surpresa. Afinal, meses antes eles não teriam condições de organizar o Brasileiro, e agora estavam fazendo uma tabela? O presidente do Atlético-MG me ligou: "Paulo, se eu não jogar no Olímpico, vamos perder por WO?". Eu disse para ele ficar tranquilo, que a tabela da Copa União era a que valia. A CBF cedeu, na Copa União fizemos uma competição com pontos corridos na primeira fase, seguido de mata-matas, e isto chamou um grande público nos estádios. Aceitamos dividir entre os Módulos Verde e Amarelo, com cada um tendo 16 clubes de maneira unânime – concluiu Odone.