| Futebol

FALANDO A MESMA LÍNGUA

PRESSÃO? SÓ SOBRE ADVERSÁRIOS

 

Dia de jogo do Flamengo cada um de nós acorda diferente. A expectativa começa mal os olhos se abrem e só faz crescer. Embora muita gente teime em afirmar o contrário, nesses dias, o tempo insiste em passar irritantemente mais devagar, nos transformando em algo semelhante a crianças esperando por Papai Noel. E a reação de “crianças” que ficam esperando por seus “presentes”, e não os recebem, é absolutamente previsível. Coitados dos ouvidos de quem estiver por perto.

Imaginamos que seria diferente? Claro que sim! Mas vamos esperar pelo quê?
Que nossa Diretoria demita mais um treinador, mande um monte de jogadores embora e comece tudo do zero novamente?
Temos exercitado nossa paciência, de forma até surpreendente, desde o início dessa gestão. Entendemos que isto seria necessário neste processo de transição e apostamos no resultado de todo esse processo.
E agora, que conseguimos ter elenco e treinador no nível dos melhores do país, vamos começar a vociferar contra alguns maus resultados de início de temporada???

Nossa equipe pode realmente não estar correspondendo às nossas expectativas, mas também não vem tão mal como ouço alguns comentaristas (e até torcedores nossos) afirmando. Fosse assim, por que os goleiros adversários vêm sendo sistematicamente o destaque de suas equipes?

Quem conhece um pouquinho de futebol sabe que o setor mais importante de uma equipe é seu meio de campo, certo? E foi exatamente o tal meio de campo do ex-time do Guerrero, quem o transformou no atacante mais badalado do país, certo?
Pois bem, o nosso é INTEIRAMENTE novo e seus integrantes LITERALMENTE nem ao menos a mesma língua falam. Fora isso, no momento em que nossa equipe começava a se acertar, ficamos privados de um de seus integrantes por mais de 40 dias.

Montar uma equipe não é uma tarefa simples, mesmo para um treinador com o currículo do Muricy, quando se tem quase 40 opções no elenco, com as mais diversas características. Especialmente quando, em função do calendário, precisamos treinar jogando. 

Entendo perfeitamente a ansiedade dos nossos torcedores, pois comigo não é diferente. Apenas me esforço em prorrogar um pouco mais minha paciência, por acreditar MUITO no material humano que possuímos atualmente (em todas as áreas) e apostar todas as minhas fichas que estamos criando condições para chegar onde desejamos.

Daqui a pouco, aquela bola que passou rente a trave passa a entrar, o cruzamento forte demais começa a ir na marca do pênalti, aquele passe vertical que o zagueiro adversário conseguiu interceptar passa a chegar no nosso atacante, as triangulações começam a ser mais rápidas e a transição ídem. O que estamos vivendo agora faz parte desse processo também e cabe a nós compreendermos isso.

Nossa Diretoria já sinalizou que novos jogadores chegarão para as posições ainda carentes da nossa equipe visando o Brasileiro, enquanto a esmagadora maioria dos nossos adversários será obrigada a se desfazer dos seus para honrar compromissos.
Diante disso, em um primeiro momento, temos que nos preocupar unicamente com o compromisso diante do Confiança na semana que vem, quando precisaremos de, no mínimo, dois sem levar nenhum.

Sou carioca, ADORO vencer nosso regional, mas, independentemente dos sacrifícios que estamos fazendo para disputar essa competição, não há tesão que resista àquilo com que temos sido obrigados a conviver.
Uma tabela CLARAMENTE dirigida pelo Presidente de um concorrente, CIRURGICAMENTE elaborada para nos prejudicar e CRITERIOSAMENTE escolhida para beneficiar esse concorrente.

Antes mesmo deste ano começar, já havia um consenso que o Carioca serviria apenas como preparação para as competições que realmente nos interessam. Um contrato com a Rede que transmite os jogos nos obrigou a escalar nossa equipe titular, alterando o que já havia sido planejado e nos impondo um desgaste ainda maior do que esperávamos.
Não será invadindo CT, vaiando nossos próprios jogadores ou fazendo o treinador se arrepender de ter aceitado nosso desafio, que chegaremos a lugar nenhum.

Ao contrário dos nossos jogadores de meio de campo, todos nós aqui falamos uma mesma língua Flamenga. Os pronomes, adjetivos e substantivos podem até ser diferentes, mas os textos têm um mesmo objetivo: O sucesso do clube do nosso coração.
Sendo assim, vamos deixar nossa Comissão Técnica e elenco trabalharem em paz e reservar a pressão apenas para os adversários.

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

 

 

 


Comentar pelo Site

1 Comentário
image

Júlio Franco Cezário FrancoHá 4 meses

O FLAMENGO DEVE ESTAR COM MUITO DINHEIRO, A CONTRATAÇÃO DO DAMIÃO ASSIM INDICA. O JOGADOR PASSOU POR VÁRIOS CLUBES EM NENHUM DELES DEU CERTO. SERÁ QUE O FLAMENGO NÃO TEM UM OLHEIRO QUE CONHEÇA DE FUTEBOL, PARA INDICAR A QUE JOGADOR CONTRATAR.

Carregar mais