De acordo com o veículo mencionado, a alegação do clube catarinense é de que houve "erro de direito" no segundo gol palmeirense. Segundo o representante do Figueira na ação, o advogado Renato de Brito, a equipe foi prejudicada porque, na cobrança de lateral que originou o gol do volante Jean, a bola sequer estava em jogo. Caso o tribunal receba o pedido, o resultado será suspenso imediatamente até que haja o julgamento definitivo.

Confiram abaixo o lance da discórdia:

​​