| Futebol

Finanças: ‘Flamengo fatura como nunca, mas salários sobem o triplo do previsto em 2016’

flameng - Finanças: ‘Flamengo fatura como nunca, mas salários sobem o triplo do previsto em 2016’

O primeiro semestre de 2016 rendeu recorde de receitas e redução de endividamento ao Flamengo. Por outro lado, os gastos com folha salarial subiram mais de 30% em relação a 2015, em alta que é o triplo do previsto no início do ano e ainda não contempla as contratações de Diego ou Leandro Damião.

Os números estão disponíveis nos resultados financeiros do clube no segundo semestre, publicado na última sexta-feira no site oficial rubro-negro. No documento, o Flamengo revela receitas de R$ 208,9 milhões em junho de 2016, superávit de R$ 47,4 milhões e R$ 61,6 milhões em gastos com salários (com encargos).

“Tivemos um primeiro semestre muito bom”, comemorou o vice-presidente de Finanças Claudio Pracownik. “Tivemos receita 26% superior, um superávit superior na mesma proporção. Reduzimos o endividamento do clube em R$ 64 milhões em relação a 2015 e também aumentamos o investimento.”

Apesar dos resultados positivos, tanto receitas, quanto superávit estão dentro do que o Flamengo contava para a temporada, neste ponto do ano, em seu orçamento – também disponível no site oficial. Já em relação a salários, o clube previa aumento de apenas 8,7% em relação a 2015 em junho/2016.

No primeiro semestre de 2015, os gastos rubro-negros com salários foram de R$ 46,7 milhões, em proporção bem próxima do que acabou sendo a despesa final do ano, R$ 96,6 milhões.

No orçamento para 2016, o Flamengo colocou como total previsto para sua folha salarial R$ 98,9 milhões, mas já gastou quase dois terços disso. Sem saídas ou chegadas, o clube gastaria R$ 123,2 milhões com salários no ano. Só que, com contratações já confirmadas, a conta ainda deve aumentar.

 

Os resultados do semestre, por exemplo, não contemplam o zagueiro argentino Donatti, o meia Diego e o atacante Leandro Damião, negócios fechadas já em julho – somente os dois últimos consumirão cerca de R$ 900 mil mensais da folha salarial. Por outro lado, os únicos a saírem foram Nixon e Canteros.

“O Flamengo agora, para que possa dar uma guinada, não ser só um clube em recuperação e em controle de dívida para um clube superavitário de maneira consistente, deve passar por investimentos”, justificou Pracownik. “E temos a expectativa de que esses investimentos nos trarão retorno”.

Na última quinta-feira, Mauro Cezar Pereira, comentarista dos canais ESPN e blogueiro do ESPN.com.br, entrevistou o diretor executivo Rodrigo Caetano, que disse que a folha do Flamengo está “dentro da realidade dos grandes clubes brasileiros” e respeita “rigorosamente o orçamento estabelecido”.

Neste domingo, o Flamengo visita o Coritiba às 16h, no Couto Pereira, com acompanhamento, em tempo real, do ESPN.com.br. A partida é válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: ESPN

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.