| Futebol

Fischer retorna, Marcelinho brilha, e Flamengo bate o Pinheiros no Tijuca

Lesionado por quase um mês, armador fez sua estreia no Novo Basquete Brasil e ajudou o clube a se manter invicto; Marcelinho e Holloway cestinhas com 22 pontos

flameng - Fischer retorna, Marcelinho brilha, e Flamengo bate o Pinheiros no Tijuca

Foram exatos 30 dias longe, e o Flamengo voltou a atuar no Tijuca, sua casa no basquete. Nesta quinta-feira, diante do Pinheiros, porém, o fator casa não foi sinônimo de vitória tranquila. Mesmo assim, o Rubro-negro deixou a quadra com a maior diferença na atual temporada do Novo Basquete Brasil, triunfando por 96 a 88. Reforçado com o retorno de Fischer, afastado quase um mês por lesão, o time da Gávea venceu a terceira na competição nacional, mantendo-se invicto.

Empurrado por uma torcida que cantava sem parar, o Flamengo teve Marcelinho como principal arma. O ala fez 22 pontos e foi o cestinha do jogo junto com Holloway, do Pinheiros. Destaque também para Olivinha, com um dulpo-duplo (anotou 14 pontos e 12 rebotes, sendo 9 defensivos). Do lado dos paulistas, além do americano, Bennet anotou outros 16 pontos.

A próxima partida do Flamengo será contra o Campo Mourão, no Paraná, na quinta-feira, às 20h15 (de Brasília). Já o Pinheiros recebe o Bauru, na quarta-feira, às 19h30.

Mesmo saindo atrás no placar, o Rubro-negro, empurrado por sua torcida, se impôs logo no início com Marcelinho, dono dos quatro primeiros pontos da equipe. Mas, do outro lado, o Pinheiros tinha Holloway, um dos principais pontuadores do NBB, que empatou o quarto. O jogo coletivo começou a fazer efeito para os donos da casa. Tanto que os oito pontos seguintes foram marcados pelos outros quatro jogadores: JP Batista, Olivinha, Ramón e Marquinhos. Com a distância no placar, a equipe paulista parou o jogo e surtiu efeito. Holloway sofreu falta, converteu os dois pontos e o lance livre, o que diminuiu a distância para três pontos. Brilhou então a estrela de Olivinha, que em duas jogadas fez dois pontos e sofreu falta. Faltando 3min50s para acabar, Ricardo Fischer estreou no NBB. Na sequência do quarto, a distância de cinco pontos se manteve, mesmo com duas bolas de três do Pinheiros. O final da parcial ficou em 28 a 24 para o mandante.



O segundo quarto começou mais amarrado. Com os dois times com dificuldade de pontuar, coube ao camisa 4 do Flamengo marcar os primeiros pontos da equipe em uma parcial novamente. Sem fazer uma cesta sequer em quase três minutos, o Pinheiros colocou Holloway e Renan de volta na quadra, mas foi Ramón, de três, quem fez mais uma para os donos da casa. A equipe azul conseguiu seus primeiros pontos com Neto, e depois só deu Flamengo. Com boa atuação embaixo do garrafão, o time de José Neto chegou a abrir 13 pontos (40 a 27). Faltando pouco mais de três minutos, Lelê entrou em quadra após cinco semanas fora por causa de uma lesão no joelho. Após errar o passe para Marquinhos e proporcionar um contra-ataque, o camisa 9 da Gávea deu um belo toco em Holloway. O outro estreante da noite, Fischer, deu números finais ao segundo quarto: 49 a 34 para o Flamengo.

Na volta do intervalo, Bennet abriu os trabalhos para o Pinheiros, enquanto que JP fez para o Flamengo. Mais ligado, os paulistanos diminuíram a diferença para dez pontos logo no começo. Durante boa parte da parcial, as duas equipes erraram muito. Melhor para os visitantes, que continuavam a diminuir a distância no placar. Marquinhos e Olivinha fizeram quatro pontos, mas uma bola de três de Holloway na sequência fez o duelo continuar parelho. Mesmo tendo feito duas primeiras faltas antes dos quarenta segundos do quarto, o que culminou no estouro das cinco possíveis, o Rubro-negro não conseguiu controlar o bom momento dos visitantes. Os mandantes continuaram na frente na parcial: 65 a 58.

Disposto a virar a partida, o Pinheiros foi com tudo para o último quarto. E logo anotou quatro pontos. O outro americano do time, Bennet, converteu um lance livre após fazer dois pontos. Após boa infiltração, Marquinhos poderia dar uma maior tranquilidade aos torcedores, mas a bola chorou e não caiu. Com falta na jogada, o lance livre convertido foi um prêmio pela jogada. Coube a JP Batista converter um arremesso de três e forçar o Pinheiros a parar a partida. Utilizando seus jogadores mais experientes, os mandantes buscaram controlar o jogo na parte final, principalmente com Marquinhos, MVP do último NBB.

Nos últimos dois minutos, o Pinheiros foi com tudo atrás do resultado. Holloway diminuiu a diferença para dois pontos e ainda sofreu uma falta, levando o ginásio ao nervosismo. Convertido o lance livre, Neto pediu tempo. Marquinhos apareceu então para cravar e fazer a torcida explodir. No ataque do Pinheiros, Holloway errou o arremesso e Marcelinho sofreu falta, abrindo cinco pontos a 39 segundos do fim da partida. Os visitantes voltaram a parar a partida e Bennet bateu bola, sofreu falta. O americano errou o primeiro lance livre, mas a arbitragem mandou voltar por entender que Olivinha se adiantou no garrafão. Depois de converter um, o camisa 3 não fez o segundo. O "pivô" da polêmica sofreu falta e aumentou a diferença para seis. Novo tempo pedido. Bola de três de Neto, falta em Ramon e dois lances livres convertidos. E a partida ficou marcada por infrações para parar o cronômetro. Quando Neto tentou bater bola, Olivinha roubou e deu passe para Marquinhos cravar e decretar a vitória do Flamengo 96 a 88.

* Estagiário, sob supervisão de Thierry Gozzer

Fonte: http://globoesporte.globo.com/basquete/nbb/noticia/2016/11/fischer-retorna-marcelinho-brilha-e-flamengo-bate-o-pinheiros-no-tijuca.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.