Segundo informações do ​UOL, o vice de futebol, que havia sido conduzido coercivamente em 2016, teria garantido ao restante da cúpula rubro-negra de que não havia chance de prisão. Godinho, peça chave na articulação política do grupo que comanda o clube, recebeu a confiança dos companheiros. Tudo para ser preso meses mais tarde. 

– Por prezar pela transparência em sua gestão e incentivar que este valor seja aplicado em todas as esferas da sociedade, o Flamengo espera que todos os fatos sejam apurados e esclarecidos – escreveu o clube, em comunicado oficial.

Enquanto resolve a crise interna, a grande aposta da diretoria flamenguista para espantar o noticiário negativo é o desempenho da equipe de Zé Ricardo. Após a vitória tranquila sobre o Boavista, a expectativa é que uma série de resultados positivos possa tirar o clube das páginas policiais e retorná-lo para as esportivas. 

​​