Conforme informação do ​blog do Rodrigo Mattos, os termos já estão acertados e serão válidos até 2022. Falta, agora, o Conselho Deliberativo flamenguista dar o seu aval para a assinatura. Com o Rubro-Negro voltando a fazer uso do Maraca, ganhará em troca uma redução nos custos operacionais, que atualmente consomem cerca de 450 mil do borderô, implicando em uma economia que pode chegar a 20% do valor total. O Flamengo passaria a negociar diretamente com fornecedores, como empresa de segurança, tendo um pacote de jogos para apresentar. Além disso, o aluguel pago será entre R$ 120 mil e R$ 700 mil, dependendo a renda obtida - atualmente, esta quantia começa em R$ 150 mil.

Embora mais barato, o estádio ainda ficará longe de ser rentável. Em arenas mais viáveis economicamente, a renda líquida fica em torno de 66% do total. No último domingo, contra o Inter, o clube ficou apenas com 13% (R$ 187 mil de um total de R$ 1,2 milhão) mesmo com um público de 55 mil pagantes. Claro, havia promoção de ingressos e existe uma boa margem de crescimento. Fato é que, independentemente deste cálculo, o Flamengo está voltando definitivamente ao Maracanã se nenhum questionamento interno atrapalhar este processo.

De torcedor para torcedor: ​clique aqui e siga o 90min no Instagram!