| Futebol

Fla e Al Nassr divergem sobre Hernane, e caso vai parar na Fifa

Clube saudita não paga primeira parcela da negociação no prazo estipulado, mas tem contrato assinado. Rubro-Negro, por sua vez, não libera documento para a inscrição

Hernane Al Nassr (Foto: Arquivo Pessoal)Hernane tem contrato assinado e já vestiu a camisa 45 do Al Nassr (Foto: Arquivo Pessoal)

Foi parar na Fifa a venda de Hernane para o Al Nassr. Apesar de o Brocador já ter se apresentado ao novo clube, assinado contrato e vestido a camisa 45, o Flamengo e os sauditas protagonizam um imbróglio que pode fazer até mesmo com que o jogador retorne à Gávea. De acordo com o que o GloboEsporte.com apurou, ao contrário do acordado, a equipe do Oriente Médio ainda não depositou o valor referente à primeira parcela, e o Rubro-Negro, por sua vez, não enviou o documento liberatório. Sendo assim, cada um foi à entidade máxima do futebol apresentar suas razões. 

Hernane foi negociado por 4,5 milhões de euros (R$ 13,6 milhões) com um contrato de três anos. O Flamengo é dono de 50% dos direitos econômicos de Hernane e vai receber a sua parte, quase R$ 7 milhões, em duas vezes. A transação foi concluída no início do mês e o valor da primeira parcela representava quase todo montante destinado ao Rubro-Negro, cerca de R$ 6 milhões. Apesar de exigir garantias bancárias, o clube ainda não viu a cor do dinheiro, o prazo expirou e a postura é de não liberar o Brocador até que a situação seja resolvida.

Al Nassr, por sua vez, optou por uma postura radical e levou o caso à Fifa, uma vez que tem em mãos um contrato assinado pelo empresário de Hernane, Paulo Pitombeira. O empresário é dono da Talents Sports, que detém, juntamente com o Mogi Mirim os 50% restantes do Brocador. A entidade máxima do futebol já acionou o Flamengo, que apresentará sua versão dos fatos em breve.

Apesar da retenção do TMS, como é chamado o documento que o clube vendedor envia para Fifa para que o atleta possa ser registrado em seu novo país, Hernane viajou para Arábia Saudita com o aval do diretor executivo Felipe Ximenes. O dirigente, por sinal, foi o responsável pela condução da negociação juntamente com Fernando Gonçalves. A participação de Gonçalves nas conversas, inclusive, chama a atenção, uma vez que ele é contratado pelo Fla para serviços de coaching - o profissional é responsável por trabalhos psicológicos e motivacionais. 

Fernando Gonçalves foi por muitos anos o homem forte da Traffic no Rio de Janeiro, mas pouco antes de acertar com o Flamengo se desligou da empresa, que foi responsável por apresentar a proposta do Al Nassr por Hernane e lucrou com a negociação. Diante do imbróglio envolvendo o TMS e o pagamento da primeira parcela, o desfecho da transação está indefinido e não há, no momento, conversas entre os clubes visando um acordo.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.