Vale lembrar o contexto do imbróglio: um dos principais destaques do Glorioso em 2015, o meia não renovou seu contrato e acabou acertando com o rival rubro-negro numa negociação que causou a ação trabalhista pelo lado botafoguense. Sem sucesso até o momento. O clube de General Severiano tentou anular o novo contrato de Arão, mas seu pleito foi recusado em várias instâncias. Agora as equipes voltam a se enfrentar, dessa vez dentro de campo, pelo campeonato estadual. O técnico do Fla, Zé Ricardo, preferiu evitar tratar da polêmica:

"Falar de desentendimento de diretoria é difícil. São questões que estão acima de mim. O fato é que a rivalidade e diferenças clubísticas a parte, eu torço para que o futebol carioca fique cada vez mais forte. O Botafogo, o Vasco e Fluminense fortes farão sempre que busquemos cada vez mais evoluir. Não tinha muito contato com o Jair (Ventura, treinador do Botafogo), somente quando fizemos um curso na CBF. E mostrou o que já vinha mostrando na TV, que é um cara supercompetente, inteligente. Ele torce por mim, assim como torço por ele. Espero que a rivalidade fique fora do campo e que a gente possa fazer um grande jogo", opinou.

O duelo tem um ingrediente a mais além do clássico em si e da questão com Arão. O Alvinegro é o 3º colocado do Grupo B com 4 pontos. O Flamengo lidera com 9, mesma pontuação do Madureira, vice-líder. Dependendo da combinação de resultados, o Bota pode ser eliminado pelo rival já no domingo.