Fla entra com ofício no MP contra violência de torcedores que protestaram no aeroporto

Fla entra com ofício no MP contra violência de torcedores que protestaram no aeroporto

Os jogadores do Flamengo passaram por momentos de tensão na última sexta-feira (27), quando a equipe estava embarcando para viajar para o jogo contra o Ceará, em Fortaleza-CE. Torcedores de uma torcida organizada foram protestar pelo momento ruim, na visão deles, pelo qual a equipe estava passando.

No entanto, o protesto foi tomado por gritos e intimidações. Entre os momentos mais tensos, tivera a hostilização em cima de Diego Ribas ao sair do ônibus, e quando Diego Alves jogou café nos manifestantes.

Momento em que Diego é hostilizado pela torcida (Foto: Reprodução/Esporte Interativo)

Com isso, o Flamengo se manifestou no sábado (28) emitindo nota oficial contra o que tivera acontecido no aeroporto do Galeão. Nesta quinta-feira (03), o clube comunicou que entrou com um ofício contra os atos de violência que ocorreram no local.

VEJA O COMUNICADO DO FLAMENGO:

O Clube de Regatas do Flamengo informa que nesta quarta-feira, 02 de maio de 2018, protocolou no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, aos cuidados do Excelentíssimo Dr. Procurador Geral de Justiça José Eduardo Ciotola Gussem, ofício solicitando o encaminhamento ao Grupo de Atuação Especializada do Desporto e de Defesa do Torcedor (GAEDEST) do caso relacionado aos atos de violência física e moral contra atletas e comissão técnica do Flamengo no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na última sexta-feira, durante o embarque da delegação rubro-negra para a partida contra o Ceará pelo Campeonato Brasileiro.

Junto com o documento foi entregue um DVD com imagens geradas pelo canal Esporte Interativo na ocasião, com o intuito de facilitar o claro entendimento do caso e a eventual identificação e responsabilização individual de cada torcedor que praticou tais atos de violência contra determinados integrantes do time de futebol profissional do Flamengo.

Ainda no ofício, o Flamengo solicita que seja informado das medidas adotadas pelo GAEDEST e, caso seja pertinente, se coloca à disposição do órgão para auxiliar no que for necessário no esclarecimento da questão, uma vez que a intenção do clube é resguardar a integridade física e moral de seus atletas e funcionários.

Também nesta quarta-feira o clube fez registro da ocorrência na 14ª Delegacia de Polícia (Leblon).”