| Futebol

Fla evita uma novela judicial na Fifa e mantém paciência no caso Hernane

Atraso do Al Nassr no pagamento de primeira parcela da compra do Brocador<br>completa 26 dias, mas Bandeira de Mello evita abrir guerra: &quot;Eu sou otimista&quot;


Hernane apresentado no Al Nassr  (Foto: Divulgação)Hernane é apresentado no Al Nassr (Foto: Divulgação)

O atraso já chegou a 26 dias, todos os novos prazos estipulados não foram cumpridos, mas o Flamengo tenta manter a paciência com o Al Nassr no caso envolvendo a venda de Hernane. O clube árabe ainda não depositou os R$ 6 milhões referentes à primeira parcela da compra do Brocador, que deveria ter sido paga no dia 17 de agosto. O desenrolar dos fatos apontam para uma briga judicial. Entretanto, o Rubro-Negro prefere esgotar todas as possibilidades antes de levar o caso a Fifa.  

A postura do Flamengo se dá pela necessidade de receber o montante o mais rapidamente possível, o que contrasta com o histórico de longas batalhas nos tribunais para solução através da entidade máxima do futebol. Especialista em assuntos relacionados à Fifa, o advogado Marcos Motta atua como consultor e será o responsável por defender o clube carioca em uma possível – até provável – ação. Internamente, porém, há uma clara preocupação em não se precipitar que encontra eco nas palavras do presidente Eduardo Bandeira de Mello.  

saiba mais
  • Al Nassr adia pagamento por Hernane
    ao Flamengo para sexta-feira
  • Fla libera Hernane e aguarda
    pagamento do Al Nassr até sábado
  • Fifa obriga que Fla libere Hernane
    mesmo antes de receber pagamento

Sempre calmo e sereno, o mandatário preferiu adotar tom otimista ao comentar o caso. Reafirmando que o Al Nassr é um clube da família real da Arábia Saudita, Bandeira citou transações nas quais a primeira parcela foi paga no prazo, mas ignorou o fato de os sauditas terem casos recentes de "calotes", como ao atacante Elton, que atualmente defende o próprio Flamengo.  

– Eu sou otimista. É um clube que pertence à família real saudita. Nunca aconteceu isso de deixar de pagar a primeira parcela. É uma transação como todas são feitas. Foi assim que compramos o Canteros ao Vélez, que vendemos o Caio Rangel para o Cagliari. O próprio Al Nassr pagou ao Palmeiras pelo Marquinhos Gabriel normalmente. Não temos motivo para imaginar que isso não vai ter um final feliz. As informações que temos é que eles vão pagar.  

Não temos motivo para imaginar que isso não vai ter um final feliz"
Bandeira de Mello

O presidente do Flamengo evidenciou também uma preferência por não resolver o caso na Fifa, além da pressa do clube em receber o dinheiro.  

– Está sendo negociado. Ainda temos a esperança de receber sem precisar ir à Fifa. Somos pacientes, temos que administrar isso. Estamos fazendo o que achamos que é o melhor para o Flamengo receber o quanto antes, sem precisar de um processo longo. Sabemos como é isso do lado de lá, do lado do devedor. Como credor, nunca enfrentamos.

O departamento de futebol do Flamengo liberou Hernane para realizar exames médicos e se apresentar ao Al Nassr no início de agosto, mesmo sem garantias bancárias para o sucesso da transação. Em outras oportunidades ainda em 2014, o Brocador não deixou a Gávea exatamente por ausência de comprovação de que as ofertas seriam cumpridas. A realidade de momento é que ao Rubro-Negro só resta esperar e torcer.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.