| Futebol

Fla libera Hernane e aguarda pagamento do Al Nassr até sábado

Rubro-Negro cumpre exigência da Fifa e ganha promessa dos sauditas de que terá a primeira parcela até 72h após recebimento de atestado, o que ocorreu na quarta-feira

Hernane camisa Al Nassr (Foto: Reprodução/Twitter)Hernane viou modelo da nova camisa do Al Nassr (Foto: Reprodução/Twitter)

Hernane já está liberado para ser registrado oficialmente como jogador do Al Nassr. Depois do imbróglio envolvendo o não recebimento da primeira parcela da venda do jogador no prazo estipulado - o último dia 17 -, o Flamengo enviou para a Fifa, na quarta-feira, o atestado (TMS) que conclui a transação. O ato era uma exigência da entidade máxima do futebol, mas o Rubro-Negro entrou em acordo com o clube saudita, que prometeu quitar a dívida 72 horas depois do documento ser despachado.

Sendo assim, o Flamengo espera até o fim do próximo sábado a quantia de R$ 6 milhões referentes a primeira parcela dos R$ 7 milhões que tem direito por 50% de Hernane. Parte deste montante, cerca de R$ 1,4 milhão (450 mil euros), será repassada para a Traffic, empresa que encaminhou a proposta do Al Nassr e intermediou a negociação. Caso os sauditas não cumpram novamente o prazo, o Rubro-Negro recorrerá à Fifa através do advogado Marcos Motta.

Na primeira vez em que um dirigente do Flamengo comentou o caso mais a fundo, o presidente Eduardo Bandeira de Mello minimizou o atraso inicial do Al Nassr e preferiu botar o foco no novo acordo, que prevê pagamento 72 horas após o envio do TMS. O mandatário rubro-negro falou em bom relacionamento com o clube da Arábia Saudita e ressaltou a importância do mesmo naquele país.

- Normalmente, essas garantias são pedidas quando o atleta é vendido em muitas prestações e há desconfiança em relação ao clube que estamos lidando. O Flamengo, por exemplo, acabou de contratar o Canteros sem garantias e ainda temos duas parcelas para pagar. Na época do clube chinês, eles tinham casos recentes de não pagamento. Estamos falando agora de uma primeira parcela, e o Al Nassr solicitou um prazo que não se esgotou ainda. Não temos razão para duvidar desta promessa. Exigir o pagamento antes do Hernane viajar seria um risco para eles também. Estamos falando de um clube que pertence à família real saudita. Não gosto de falar em hipóteses - afirmou o presidente rubro-negro.

Liberado pelo departamento de futebol, Hernane deixou o Brasil no início de agosto para realização de exames médicos e assinatura de contrato, mesmo sem garantias bancárias para conclusão do negócio. O Brocador, inclusive, já foi apresentado oficialmente para vestir a camisa 45 e foi modelo na apresentação do novo segundo uniforme do Al Nassr.

saiba mais
  • Departamento de futebol transfere responsabilidade para o jurídico por conta do imbróglio
  • Brocador lembra Flamengo com número 45 no Al Nassr: "Pelos gols que fiz lá" 

 

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.