​A crise chega para todos, inclusive os clubes de futebol. Ciente das limitações financeiras, o Flamengo adotou uma estratégia na contratação de reforços em 2016: o parcelamento das compras. Dessa maneira, o Rubro-Negro trouxe cinco jogadores e tem ainda R$ 3 milhões para investir em um novo atacante.

O time da Gávea envolveu pouco mais de R$ 30 milhões em negociações neste ano, mas menos da metade deste valor será gasto na atual temporada. O clube conseguiu parcelar os R$ 5 milhões utilizados com Alejandro Donatti; os R$ 4 milhões de Alex Muralha; os R$ 2 milhões de Rodinei; os R$ 12 milhões de Mancuello e os R$ 8 milhões de Cuellar.

Agora, com o fraco desempenho ofensivo da equipe no campeonato - ​o Fla tem o quarto pior ataque do Brasileirão -, a diretoria do clube busca um ataque para a reserva de Paolo Guerrero ou até mesmo para jogar ao lado do peruano. O negócio pode acontecer por empréstimo, e não necesseriamente ser em definitivo.