Fla pretende alugar Engenhão, mas quer cláusula com opção de sair antes do fim do contrato

Fla pretende alugar Engenhão, mas quer cláusula com opção de sair antes do fim do contrato

Enquanto ainda sofre para iniciar as obras na Ilha do Urubu, o Flamengo negocia com o Botafogo o aluguel do Engenhão. A diretoria rubro-negra quer um contrato de três anos, mas pretende estabelecer uma cláusula que permita o encerramento do acordo ao fim de 2018 ou, no máximo, no começo de 2019. O intuito é resguardar uma válvula de escape para a nova gestão do clube, já que o mandato de Eduardo Bandeira de Mello está nos últimos meses.

Além disso, o Flamengo está estudando um número específico de partidas para fazer no estádio, uma espécie de teto, o que seria uma realidade distinta da prevista no começo das conversas com o alvinegro. Com a rediscussão dos termos, o Botafogo aguarda um posicionamento do Fla sobre o assunto nesta semana para saber se avança ou não nas tratativas.

Na negociação inicial, cujos termos foram explicados em uma reunião no Conselho Deliberativo do Botafogo no fim de março, a diretoria alvinegra pediu um valor escalonado de aluguel, levando em conta a expectativa de público presente. O custo por jogo variaria entre R$ 120 mil, para jogos com menos de 10 mil presentes, e R$ 370 mil, com público estimado de mais de 30 mil pessoas.