"Isso (estádio na Gávea) está em stand-by. Assinamos a opção de compra na Avenida Brasil para um estádio de grande capacidade, de pelo menos 55 mil lugares. Se isso ocorrer, o estádio da Gávea fica prejudicado. Não há sentido e nem capacidade financeira para construir dois estádios. A Gávea só será engavetada por iniciativa do Flamengo em razão do estádio na Brasil. É uma decisão do clube, algo estratégico", explicou o dirigente, em entrevista ao site ​UOL Esporte.

Por outro lado, a arena multiuso na Gávea, bancada pelo Mc Donald's, deve ficar pronta no segundo semestre de 2019. O local terá custo de R$ 28 milhões e a tendência é que o negócio seja fechado ainda em outubro.

"A negociação está em fase final com o próprio McDonald´s. Existem questões contratuais que esperamos definir nos próximos 15 ou 20 dias. Na sequência, levaremos aos Conselhos do clube. Envolve um processo burocrático grande. Tem a questão de estudo do terreno, pois ali funcionava um posto de gasolina. É verdade que demandou um tempo bem maior do que imaginávamos. A meta é iniciar as obras entre janeiro e fevereiro de 2018. O prazo de conclusão é de pelo menos um ano e meio", concluiu o dirigente.

​​

​​