"A gente antecipou muita coisa em 2016. A gente vai agora continuar pagando pelas contratações em 2017. Foram operações de engenharia financeira que nos permitiram incluir em 2016 recursos previstos para 2017. As operações que vamos fazer daqui para frente estão sendo discutidas no orçamento, visando contratações pontuais e aumento de folha do futebol. Mas este ano o que aconteceu é que vislumbramos oportunidades de negócio e antecipamos receitas. Com indicações do departamento técnico vamos buscar adaptações e fazer contratações importantes, que vão ser pontuais", disse Claudio Pracownik, vice-presidente de finanças do clube.

A ideia da cúpula rubro-negra é trazer quatro reforços. Um lateral-esquerdo, dois atacantes de lado de campo e um jogador mais renomado. No caso da contratação considerada "de peso", o clube deve analisar as possibilidades financeiras e as condições para a chamada "oportunidade de mercado", como no caso das vindas de Guerrero e Diego.

Para a lateral, nomes como o de Reinaldo, da Ponte Preta, e Dener Assunção, da Chapecoense, interessam. Para o ataque, o grande sonho é Vitinho, do Internacional, mas as negociações dependem da extensão do vínculo do jogador com o CSKA, da Rússia. Marinho, do Vitória, também está em pauta.