Ambos se desligaram do clube por compromissos pessoais e profissionais, conforme informação oficial do departamento de comunicação rubro-negro. No entanto, são perdas significativas. Strauch, por exemplo, coordenou toda a campanha de reeleição do presidente Eduardo Bandeira de Mello, em 2015. No entanto, internamente, ele era considerado uma pessoa de opinião forte, que não fugia do confronto e que não tinha uma boa relação com a imprensa.

Nos últimos tempos, as divergências quanto à administração de Bandeira de Mello cresceram bastante. Por isso, não é de se surpreender caso novos nomes “pulem da barca” visando ao pleito do próximo ano.

​​