| Futebol

Fla x Flu Um chopps e dois pastel o meu...

Valeu Gaúcho!

Depois de 74 anos um Fla x Flu no Pacaembu em São Paulo.  No início da semana o jornalista e torcedor gambá Carlos Cereto afirmou que não acreditava que o público pagante do Fla x Flu atingisse a marca de 20 mil torcedores, doce e ledo engado do cidadão, ao final deste sábado,  mais de 25 mil ingressos já haviam sido vendidos, numa análise mais conservadora acreditamos que pelo menos 28 mil pagantes estarão no velho estádio, com a maioria absoluta de rubro-negros.  Por ocasião da decisão da copinha em 2011 contra o Bahia, cerca de 30 mil rubro-negros ajudaram a lotar o Pacaembu, também no primeiro jogo decisivo da Copa do Brasil em 2004 contra o Santo André no antigo Parque Antártica, cerca de 15 mil rubro-negros estiveram por lá. Na realidade a torcida do Flamengo também é grande em sampa, tem a quinta torcida do Estado e também da capital, superando a tradicional Portuguesa, a Lusa do Canindé, que nos últimos anos vem se apequenando, mas que já teve as  suas glórias, títulos e ídolos no cenário do Futebol Brasileiro.

Este jogo pelo Campeonato Carioca e valendo pela Taça GB, será a oportunidade do Flamengo se reabilitar da vexatória derrota para o fraco time do Confiança na quarta-feira passada, uma derrota poderá dar margem a ondas, cobranças e um fomento de crise principalmente pelo sensacionalismo midiático. 

Esperamos um Flamengo mais atento, mais focado na importância do jogo, sem as já tradicionais desculpas após um suposto revés. O treinador Muricy ainda não escalou o time, deu sinais que poderia poupar um ou outro titular devido a sequencia excessiva de jogos, mas acreditamos que P.Vitor, Rodinei, Wallace, Juan e Jorge, Cuéllar, W,Arão e Ederson, M.Cirino, Guerrero e Emeson Sheik seja o onze titular para este jogo, o mesmo time do encontro com o Confiança. 

Sob o ponto de vista da estratégia de jogo um 4 3 3 oscilando para um perigoso e ultrapassado 4 2 4. Acreditamos que o experiente treinador esteja consciente do que está fazendo, o Mancuelo faz muita falta na estratégia idealizada pelo treinador, sua ausência acreditamos  que até inviabilize esta forma de jogar, pois não existe no elenco um jogador com as características do volante/meia argentino. Também ao contrário dos últimos jogos contra pequenos, acreditamos que  o Fluminense saia para o jogo, assim sendo, o inútil futebol do M.Cirino contra retrancas poderá aparecer. Espera-se  que o Jorge tenha mais intensidade de jogo e atenção na defesa, que o Guerrero perceba que ficar as turras com a zaga adversária e reclamar o tempo todo, não dará margem a que faça o trivial de qualquer centroavante, ou seja, marcar  gols   e que o individualista Sheik tenha consciência que o futebol é coletivo. Vamos pra este jogo, na esperança de uma reabilitadora  vitória.....

 

 

Histórias Rubro-Negras

GAÚCHO

Quem lembra desse time, Marlúcio, Laércio, Aldair, Olavo e Adalberto, Douglas, Gérson e Gilmar, GAÚCHO, Vinícius e P.Henrique, pois bem, era o time de juniores do Flamengo em 1984.  O  Gaúcho jogava na ponta direita desse Flamengo. Muitos jogos nas preliminares do velho maraca, nos jogos na Gávea e em outros estádios do Rio de Janeiro. Gaúcho um pouco pesado para posição, sem muita velocidade, mas já demonstrava o seu faro de gol, principalmente nas bolas alçadas na área. 

Na realidade o nosso Gaúcho não tinha muito cacoete para jogar como ponta, o tempo foi passando e o jovem atacante acabou sendo dispensado do clube depois que estourou a idade de júnior. Rodou, foi pro XV de Piracicaba, depois esteve no Grêmio do RS, Palmeiras, Verdi Kawasaky, Santos André e finalmente voltou ao seu clube de coração o Flamengo. Foi no time da Gávea que Gaúcho teve os seus melhores momentos na carreira, foi também aonde ganhou os seus mais relevantes títulos e  

No Rubro-Negro Gaúcho foi Campeão da Copa do Brasil em 1990, do Estadual de 1991 e do Campeonato Brasileiro de 1992. Jogando como centroavante Gaúcho marcou gols decisivos , suas cabeçadas viraram o terror das defesas adversárias,também tinha boa colocação na área e uma excelente capacidade de finalização.

Em 200 jogos pelo "mais querido"Gaúcho assinalou 98 gols, uma média invejável, é o décimo nono artilheiro da brilhante trajetória do clube, a frente de ícones como Nunes, Doval, Sávio, C.Adão, Perácio e outros mais. 

Seu falecimento pegou a todos nós  Rubro-Negros de surpresa, sua lembrança e seus gols ficarão na memória de todos que o viram atuar e a honrar o "manto sagrado" do Flamengo... Mais uma vez valeu GRANDE GAÚCHO, obrigado pelas alegrias que você deu a todos nós, você de fato sempre soube honrar o "manto sagrado" do nosso eterno Flamengo...

SRN


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.