| Futebol

Flamengo adia prazo de definição sobre compra de terreno para estádio próprio

Clube mantém estudos e marca reunião para encontrar solução para local na Avenida Brasil

A diretoria do Flamengo confirmou a ampliação do prazo de estudos para a viabilidade do terreno da Avenida Brasil, escolhido como possível local para a construção de seu estádio.

A ideia era ter uma definição em 120 dias, que venceram nesta quinta-feira, depois da assinatura de um contrato de opção de compra em setembro de 2017.

O vice de patrimônio do clube, Alexandre Wrobel, agendou uma reunião para a próxima terça-feira com proprietárioas da área e arquitetos que já se debruçam no projeto. O clube tem como consultor Anibal Coutinho, que projetou a Arena Corinthians.

O grande problema para a compra do terreno de R$ 157 milhões pertencente ao Grupo Peixoto de Castro (que está há quatro anos em recuperação judicial) é que, em 2020, um viaduto de 2,5 km vai passar na rua em frente ao terreno. Isso inviabilizaria a construção do estádio na área. O lote em questão tem apenas dois acessos: um pela Avenida Brasil e outro pela Rua Prefeito Julio de Moraes Coutinho. Dos outros dois lados passa um rio.

De acordo com o projeto original apresentado pela Ecoponte, no fim de outubro, o viaduto vai passar pela Rua Prefeito Julio de Moraes Coutinho exatamente no trecho do terreno que o Flamengo gostaria de comprar. A construção, que está marcada para começar em janeiro, ficaria pronta em 2020 e foi aprovada pela prefeitura e pelo governo do Estado.

A alça é considerada uma rodovia federal e é uma exigência de contrato pela concessão de administração da Ponte Rio-Niterói. O viaduto terá duas faixas de rolamento, cada uma com 3,5 metros de largura em sentido único, que deverão aliviar o trânsito na saída da Ponte e no trecho da Avenida Brasil na altura do Caju, tirando cerca de 15 mil veículos de percursos complicados da Brasil e da Linha Vermelha.

O Flamengo ainda tenta alterar uma parte do trajeto, evitando que o viaduto passe pela rua do terreno que pretende comprar. Por isso, o vice de patrimônio Alexandre Wrobel vem tendo encontros frequentes com os órgãos da prefeitura (gabinete do prefeito e Cet-Rio) e a Ecoponte.

Mesmo otimista com a solução da questão, o Flamengo resolveu se prevenir e está estudando outros terrenos. A venda do edifício Hilton Santos será revertida para a compra do terreno.

Fonte: https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-adia-prazo-de-definicao-sobre-compra-de-terreno-para-estadio-proprio-22255667

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.