Chama a atenção o fato  de as previsões de receitas diminuírem para R$ 477 milhões em 2018, já que em 2017 foram de R$ 632 milhões. A intenção da diretoria é fazer com que ao menos um atleta seja vendido para o exterior e impulsione novamente os investimentos na montagem do elenco. Por ora, são "apenas" R$ 5 milhões disponíveis para contratações. Nomes como Rômulo, Mancuello e Alex Muralha devem ser negociados. 

Já a previsão de receita com bilheteria manteve o patamar de 2017: R$ 49 milhões, enquanto a folha do departamento de futebol deve se manter no patamar de R$ 10 milhões mensais.

​​