Flamengo apenas empata com o Santa Fe no Maracanã vazio

Flamengo apenas empata com o Santa Fe no Maracanã vazio

Faltou torcida e faltou futebol. Em um Maracanã vazio, de portões fechados, o Flamengo não teve boa atuação e empatou em 1 a 1 com o Independiente Santa Fe na noite desta quarta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores.

Este foi o segundo e último jogo rubro-negro sem torcida, cumprindo suspensão imposta pela Conmebol. Flamengo e Santa Fe voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, em Bogotá, na Colômbia.

Quem por acaso acompanhou apenas os 15 minutos iniciais e resolveu desligar a TV, foi dormir seguro de uma vitória rubro-negra. O Flamengo começou a partida em alta rotação. Logo aos três minutos Diego perdeu boa chance após tabelar com Paquetá. O gol não demoraria a sair. Aos sete, Diego bateu escanteio da esquerda, o goleiro Zapata cochilou e Henrique Dourado apareceu na pequena área para cabecear forte e abrir o placar.

O domínio era rubro-negro, e o Flamengo podia ter ampliado em lances com Juan, aos 12, e Diego, aos 27.

Mas quase tão velho quanto o futebol é o ditado "quem não faz, leva". Aos 31, Diego errou passe em uma saída rubro-negro, o Santa Fe pegou a zaga do Flamengo desprevenida e não perdoou. Plata rolou no meio para Morelo tocar sem chance para Diego Alves.

O técnico Maurício Barbieri tentou dar novo ânimo ao time logo aos 10 do segundo tempo, trocando Henrique Dourado e Éverton Ribeiro por Lincoln e Willian Arão. O panorama era o mesmo do primeiro tempo, com o Flamengo propondo o jogo e o Santa Fe se defendendo, apostando nos contra-ataques.

Vinícius Júnior e Willian Arão perderam boas chances, e Paquetá tentou até de bicicleta, mandando por cima do gol.

Barbieri apostou em Geuvânio no lugar de Vinícius Júnior, mas a melhor opção parecia mesmo ser contar com as saídas atabalhoadas de Zapata. Aos 35, o goleiro do Santa Fe não achou nada pelo alto e Lincoln quase marcou, com a zaga salvando em cima da linha. No minuto seguinte, Soto salvou não uma, mas duas vezes quando a bola já estava entrando.

Aos 42, a última chance. Diego entrou na área e bateu rasteiro para defesa com as pernas de Zapata. Pouco inspirado, o Flamengo teve que se contentar com mais um empate em casa nessa Libertadores.