Flamengo: “#BuzzFla – 36 anos do Bicampeonato Brasileiro”

Flamengo: “#BuzzFla – 36 anos do Bicampeonato Brasileiro”

Neste 25 de abril, celebramos os 36 anos da conquista do bicampeonato brasileiro, conquistado após um espetacular triangular contra o Grêmio na final, com direito a duas batalhas épicas no Olímpico, depois de uma recuperação inesquecível no Maracanã.

O Mengão entrou na competição com o status de Campeão de Mundo e time a ser batido. A geração Zico, Junior, Leandro, Raul, Andrade, Adílio, Lico, Tita, Nunes e outros comandava o país com um futebol deslumbrante e vencedor.

Do outro lado, o Grêmio tinha uma equipe que se consagraria campeã mundial no ano seguinte e juntava craques do quilate de Leão, Renato Gaúcho, De Léon, Paulo Isidoro e Baltazar.

Um confronto de gigantes, com certeza, que relembramos com carinho e prazer neste dia.

1. A Campanha

O Mengão foi o indiscutível campeão em 1982. Foram 23 jogos, com 15 vitórias, seis empates e apenas duas derrotas. Marcou 48 gols e sofreu 27. De quebra, ainda teve o artilheiro da competição, Zico, com 21 gols marcados. O time saiu do Maracanã invicto na competição. Em 11 jogos, foram oito vitórias e três empates. As duas únicas derrotas foram fora de casa, para Sport e Atlético Mineiro. Mesmo na final, que pelo regulamento foi disputada no Olímpico graças a melhor campanha tricolor na fase eliminatória, o Mais Querido chegou com 32 pontos, contra 27 do adversário. Melhor em tudo.

2. Zico, o artilheiro

Zico, Zicão, Zicaço. Sempre ele. Foram 21 vezes que os goleiros buscaram a bola no fundo da rede após um chute de Zico. E alguns, mais de uma vez. Contra o Guarani, Zico guardou três na segunda partida da semifinal. Isso porque diziam que ele era jogador de Maracanã.

O Flamengo foi com vantagem para o Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, por ter vencido no Rio por 2×1. Com o estádio absolutamente lotado, o Guarani abriu o placar aos três minutos com Jorge Mendonça. Mas, como diria Galvão Bueno, que narrou a partida, “quem tem Zico tem tudo”. O Galinho empatou aos 22 minutos. No segundo tempo, também aos três, o camisa 10 recebeu de Lico e mandou de primeira, de longe, mantando o goleiro Wendell. Um golaço. Vinte minutos depois, o Eterno 10 ainda fez o terceiro e sacramentou a classificação para a final.
3. Raça e viradas
O Melhor Time do Mundo em 1982 era o temor dos adversários. O jogo só acabava quando o juiz terminava mesmo. Foram várias viradas espetaculares daquela equipe, inclusive fora de casa. Cansados por ser o início da temporada, os jogadores ainda precisaram de um tempo para voltar a jogar o melhor futebol. Nos dois primeiros jogos, contra São Paulo e Náutico, o Mengão saiu atrás e virou. Contra o Internacional, no Beira Rio, Zico (ah, vá, jura?) abriu o placar, o Inter virou, mas Reinaldo e Vitor calaram os gaúchos de forma sensacional.
4. Calando o Morumbi
Só que a maior vitória foi mesmo a do Morumbi. Dois dos melhores times do país, estádio lotado, o São Paulo saiu na frente com Renato. Mas o Mengão nem quis saber. Passou o carro e com Nunes, Lico, Tita e Zico, abriu 4×1 calando o estádio. Os tricolores encostaram, mas não havia como superar aquele timaço. Se liga no quarto gol, de Zico, com MUITA CATIGURIA de Tita no passe e do Galo, na conclusão. Jogaço, golaço, timaço.
5. Golaços
Toda campanha tem seus golaços. E a de 1982 não seria diferente. Separamos alguns aqui embaixo para vocês curtirem e relembrarem o talento daquela equipe mágica que dominou o Rio, o Brasil, a América e o Mundo. Tem mais gols do Zico? Tem. Mas é que o Galinho de Quintino destruiu mesmo. Qual foi o mais sinistro?
Flamengo 5 x 0 Treze – Zico faz fila, toca para Nunes e pega o rebote. 
Flamengo 1×2 Sport (semifinal) – Leandro vê o goleiro adiantado e manda da lateral, de primeira
Flamengo 1 x 1 Corinthians – Zico recebe, limpa a jogada e toca no canto, sem chances para o goleiro 
Flamengo 3 x 0 Ferroviário – Nunes acha Junior na área. O Capacete dá um passe sensacional para Zico só conferir.
Ferroviário 1 x 2 Flamengo – Tabelinha mostra todo o entrosamento da equipe, até terminar no belo chute de Tita
6. A final
Três batalhas. Três jogos. Em campo, o Campeão do Mundo e da Libertadores de 1981, e do Brasileiro de 80, contra o campeão brasileiro de 81 e futuro campeão do Mundo e da Libertadores em 1983. Maracanã recebeu o primeiro jogo. O Olímpico recebeu o segundo. Em caso de igualdade, a terceira partida seria em Porto Alegre, por conta da melhor campanha gaúcha no mata-mata.
Flamengo x Grêmio. Um dos maiores clássicos do mundo numa das maiores finais do Brasileiro na história.
No Maracanã, jogo nervoso, digno da finalíssima que todos esperavam. Aos 37 do segundo tempo, Tonhão abre o placar para o Grêmio. Na casa rubro-negra, os tricolores conseguiam um resultado que os deixaria com a taça na mão.
Mas quem tem Zico…. E o craque fez isso aí em cima, aos 44.
Jogo empatado, segunda partida em Porto Alegre. Não houve futebol. Houve um 0x0 que não decidiu nada e colocou tudo na última partida.
Vinte e cinco de abril de 1982. Porto Alegre. Domingo de sol. Mais de 60 mil pessoas no Olímpico. Aos 10 minutos, Zico acha Nunes. O João Danado invade a área.
Vinte e cinco de abril de 1982. Porto Alegre. Domingo de sol. Mais de 60 mil pessoas no Olímpico. Aos 10 minutos, Zico acha Nunes. O João Danado invade a área.
O chute sai forte, sem defesa para Leão, que cai apenas para aparecer na foto. É o gol to título. Aos 10 minutos, o Flamengo fez o que precisava para levantar a taça de Melhor do Brasil pela segunda vez.
E Zico deu a volta olímpica.
Reprodução: Flamengo Oficial