Das 9h às 18h, o artilheiro realiza trabalhos fisioterápicos e, também, alguns outros procedimentos, como o chamado PRP – plasma rico em plaquetas (os médicos retiram sangue do atleta, misturam a alguns elementos e injetam no local machucado). Tudo para que a cicatrização da lesão de grau 2 no músculo posterior da coxa direita ocorra o mais rápido possível.

Até mesmo a namorada do peruano, a nutricionista Thaisa Leal, participa do processo ajudando na recuperação física. Normalmente, este tipo de problema pode acarretar até um mês de tratamento. Nesta sexta, Guerrero completou apenas a sua primeira semana. Ou seja, embora ninguém descarte, é praticamente impossível a presença do jogador na partida do Engenhão.

​​