| Futebol

Flamengo corta organizada de benefício por ingressos e protestos devem se avolumar

flameng - Flamengo corta organizada de benefício por ingressos e protestos devem se avolumar

O protesto no Centro de Treinamento do Flamengo contra a má fase do time, na última sexta-feira, também teve queixas de organizadas sobre o fim do benefício de ingressos. O líder da Torcida Jovem do Flamengo, que foi suspensa dos estádios pelo Ministério Público, afirmou que a diretoria interrompeu o repasse de bilhetes para venda aos seus integrantes, desde o jogo com o Botafogo pelo Estadual.

O clube, por sua vez, confirma apenas que tirou a organizada da lista de torcidas que integram um sócio-torcedor corporativo, e tem a chance de comprar os ingressos por valores fixos mensais e com antecedência. O Flamengo nega a doação de ingressos. Torcida Jovem diz que eles eram vendidos. Nesse cenário, a promessa das lideranças dos grupos de torcida é de novos protestos em treinos, na sede, após jogos e nos aeroportos. "Em 2015 o Flamengo lançou uma categoria de ST corporativo, grupos com 20 membros, no mínimo, que pagam valores fixos mensais e não têm nenhum outro benefício do programa além da compra antecipada de ingressos para apenas um setor do estádio em que o Flamengo é mandante (no caso do Maracanã e da Ilha, é o setor Norte). Essas empresas, entre elas torcidas organizadas associadas ao projeto, são obrigadas a comprar uma quantidade mínima de ingressos por jogo durante todo o ano, caso contrário perdem o direito ao benefício. Todos os seus membros possuem cartão ingresso nominal com dados cadastrais”, explicou a assessoria do Flamengo. Segundo o clube, existem regras rígidas para todos os requisitos do contrato. Dentre elas, além da quantidade mínima de ingressos para cada jogo, o plano ST corporativo exige que se pague uma mensalidade fixa para a empresa fazer parte da categoria. Existe também um limite máximo de planos permitidos. Hoje, a Raça Rubro-Negra, a Fla Manguaça e a Urubuzada fazem parte do plano. As três torcidas tinham representante no protesto, mas eles adotaram tom ameno depois de cobrar os jogadores em seus carros e buscaram entrar no CT para conversar com os atletas e diretoria. O presidente Eduardo Bandeira de Mello estava presente no CT e não os atendeu. O líder da Jovem, conhecido como Pato, chegou mais tarde e se exaltou quando soube que não haveria conversa dentro do Ninho do Urubu. Bandeira, então, virou alvo. O torcedor gritava que o mandatário tinha a obrigação de receber a maior torcida organizada do Flamengo, e que os jogos na Ilha do Governador seriam palco de protestos maiores. A sede do clube da Gávea foi pichada nos últimos dias e a tendência é de que novas inscrições apareçam nos muros. O atual momento do clube revoltou até antigos membros de organizadas que não vinham participando de ações do tipo em desembarques e treinamentos. Agora, a chamada “velha guarda” das organizadas reaparece para tomar a dianteira das reivindicações por bons resultados.

Fonte: https://extra.globo.com/esporte/flamengo/flamengo-corta-organizada-de-beneficio-por-ingressos-protestos-devem-se-avolumar-21460624.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

1 Comentário

Fernando Barretto Há 4 meses

Tava na cara que os protestos não eram à toa...hehehe.....rebanho de sanguesuga

Carregar mais