Nenhum dos dois clubes tem um projeto definido para o local, mas tratam a área como uma das possibilidades. Buscando alternativas ao Maracanã, que ainda parece longe de ter sua situação definida, Fla e Flu miraram a região na Barra da Tijuca, mas não querem que este conflito de interesses atrapalhe o relacionamento entre os clubes. 

– Ninguém desistiu do terreno (do Parque Olímpico), mas acertamos que não vamos entrar em uma concorrência predatória – explicou o presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Enquanto buscam por uma solução definitiva para a falta de local para mandar os jogos, a dupla se vira com arranjos temporários. O rubro-negro tocou a reforma no estádio Luso-Brasileiro, hoje Ilha do Urubu, e o tricolor está apostando novamente em Édson Passos

​​