Flamengo e Maracanã negam vandalismo em treino

Flamengo e Maracanã negam vandalismo em treino

Um vídeo que mostra seguranças fazendo a vistoria do Maracanã, supostamente creditando como sendo da última terça-feira, está viralizando. Quem envia diz ser referente ao treino aberto que o clube fez no estádio. Nas imagens aparecerem quatro cadeiras quebradas e alguns espaços de cadeiras vazias nas arquibancadas. A Maracanã S.A. (Odebrecht e AEG) e o Flamengo não sabem precisar quando as imagens foram feitas, mas ambos garantem que o treino aberto transcorreu dentro do planejado e no número de cadeiras quebradas não superou a margem prevista para esse tipo de evento que varia de 20 a 40 cadeiras.

- O treino aconteceu na maior tranquilidade. Nenhum ato de distúrbio foi registrado dentro do Maracanã. O número de cadeiras quebradas não ultrapassou o previsto em qualquer evento no estádio – afirmou Mauro Darzé, presidente da Maracanã acrescentando que ainda não há um número exato de cadeiras quebradas – Ainda não contabilizamos, mas sabemos que foi muito baixo. O Maracanã apoia esse tipo de evento no estádio. Contem com a nossa parceria.

O Flamengo não se posicionou oficialmente sobre isso, mas fontes de dentro do clube chegaram a afirmar que o vídeo não era referente ao treino de terça-feira. No vídeo, além das cadeiras quebradas o segurança mostra buracos vazios, que segundo ele, seriam de cadeiras arremessadas em direção ao campo. Mas, ele não mostra as tais cadeiras.

 

Desde dezembro, há no Maracanã um déficit de quase 600 cadeiras. Essas foram arrancadas, pela torcida do Flamengo, na final da Sul- Americana, quando depois de uma invasão no Maracanã mais 70 mil pessoas entraram no estádio. O Flamengo deveria pagar por essas cadeiras, mas ele questiona o número total. Já a Maracanã S.A. diz ter encomendado as novas cadeiras para uma a nova empresa de cadeiras. A empresa original, que ficava na Alemanha, faliu.