| Futebol

Flamengo e Sheik vivem turbulência e ensaiam despedida

Emerson Sheik e Flamengo já não falam a mesma língua: saída parece próxima

flameng - Flamengo e Sheik vivem turbulência e ensaiam despedida

A segunda passagem de Emerson Sheik pelo Flamengo pode terminar antes do previsto. Jogador e clube estão insatisfeitos com o relacionamento. O clima é de turbulência nos bastidores e a despedida tem sido ensaiada. É improvável que o contrato seja cumprido até o fim do ano.

Se o camisa 11 viveu bons momentos pelo Rubro-negro em 2015, o mesmo não pode ser dito na atual temporada. Foram apenas 19 jogos oficiais e quatro gols marcados. Sheik convive com as lesões e perde espaço no elenco com a mesma velocidade já exibida em campo.

O problema de agora é na coxa direita e deve afastá-lo dos gramados por cerca de um mês. Emerson jogou 90 minutos pela última vez em 20 de março - empate por 0 a 0 com o Fluminense. O último gol aconteceu em 12 de março - vitória por 1 a 0 sobre o Madureira.

A baixa produtividade incomoda dirigentes e torcida. Os questionamentos são frequentes entre os jogadores sobre a situação. As dúvidas em torno da condição física de Sheik e se ainda vestirá vermelho e preto são quase um mantra.

O clima também é de fim de festa pelo lado do jogador. Segundo apuração do UOL Esporte, Emerson nunca escondeu a insatisfação com a reserva, ainda sob o comando de Muricy Ramalho, e transparece o desgaste pelos anos de futebol. Experiente, ele reconhece que o fim da carreira está cada vez mais próximo e encontrar motivação para seguir não parece tarefa das mais simples.

A janela de transferências pode ser uma solução para um relacionamento em crise. Sheik ainda tem mercado em países como Qatar, Emirados Árabes e Japão. Diretoria e estafe discutem possibilidades em busca de um desfecho.

A reportagem entrou em contato com o empresário Reinaldo Pitta. Responsável pela carreira recheada de títulos do atacante, ele lamentou a má fase do veterano e deixou claro que as partes possuem uma boa relação no objetivo de resolver os problemas.

"Ele está em tratamento por conta da lesão na coxa. Temos que resolver a questão física primeiro. Se aparecer alguma proposta, passarei ao Flamengo. Se for boa, as duas partes vão querer o negócio. É assim que o futebol funciona. O Sheik não é mais nenhum garoto. Creio que o clube me diria se estivesse insatisfeito com o jogador", afirmou.

"Acho que o Emerson não deve provar mais nada para ninguém e precisa continuar, pois tem contrato. O Flamengo renovou porque ele fez um bom papel em 2015. O primeiro semestre deste ano realmente não foi bom. Ele se machucou, não foi a primeira vez e também não conseguiram formar um time vencedor. Mas quem vai bem em 100% da carreira? É um momento. Pode ser que volte a se destacar", completou.

O fim de ciclo na Gávea surge como o caminho mais provável. Por enquanto, permanece a dúvida se Sheik ainda vestirá a camisa rubro-negra. O fato é que a história no clube que o tornou conhecido no Brasil tem as últimas linhas escritas.

Fonte: http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2016/07/07/dois-lados-insatisfeitos-fla-e-sheik-vivem-turbulencia-e-ensaiam-despedida.htm

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.