Flamengo falha na defesa e no ataque e tropeça em casa de novo na Libertadores

Flamengo falha na defesa e no ataque e tropeça em casa de novo na Libertadores

Colocar na torcida ou na falta dela qualquer responsabilidade por mais uma apresentação decepcionante do Flamengo é não enxergar o óbvio. A falta de público só poupou das vaias o time que empatou com o Santa Fé no Maracanã, pela terceira rodada da Libertadores. Como os rubro-negros que lotaram o treino aberto na véspera não podem entrar em campo, o placar de 1 a 1, segundo tropeço em casa na competição, é fruto apenas do previsível e burocrático futebol jogado pelo time rubro-negro.

Também não é possível, ainda, cobrar do técnico interino Maurício Barbieri. Embora a formação tenha sido a mesma base que Carpegiani colocava em campo, o auxiliar tentou orientar o time, mudou peças, mas os atletas não entregaram nada de diferente. Com o empate, o Flamengo fica com cinco pontos no grupo quatro. É o líder, seguido do Santa Fé, com três. O River Plate tem dois e o Emelec um ponto. Ambos se enfrentam nesta quinta-feira na Argentina. O próximo jogo do Flamengo é na próxima quarta-feira, diante do mesmo Santa Fe, na Colômbia.

Foram apenas cinco minutos de inspiração. Talvez contaminados pelo apoio dos torcedores no dia anterior. O gol veio cedo, com Dourado aproveitando falha do goleiro. Antes, Diego havia tido chance clara, e perdeu. Depois, Juan quase ampliou. Parou por aí. O Santa Fé reagiu e aproveitou o buraco entre a defesa e o ataque rubro-negros. Em falha de Diego, contra-atacou e marcou com Morelo. E aí o desespero entrou em campo.

O segundo tempo foi praticamente todo de pressão do Flamengo com base em cruzamentos. As tentativas de jogadas verticais não entravam na defesa fechada. As entrada s de Arão e Lincoln melhoraram o time. Aprimeira chance só aconteceu aos vinte minutos, com Vinicius. Diego perdeu cara a cara de novo. O empate acabou provando a incompetência.