Flamengo paga o preço por time misto e é derrotado pela Chapecoense: 3 a 2

Flamengo paga o preço por time misto e é derrotado pela Chapecoense: 3 a 2

A decisão de poupar jogadores para enfrentar o Emelec, quarta-feira, pela Libertadores, teve um preço. Ele não foi barato, em termos de Campeonato Brasileiro. Contra uma Chapecoense limitada, o Flamengo demorou demais para fazer jus à sua superioridade técnica. Quando decidiu buscar a vitória, sofreu um gol aos 45 minutos e acabou derrotado por 3 a 2.

O resultado não tirou a liderança da equipe treinada por Maurício Barbieri. Com os mesmos 10 pontos do começo da rodada, viu Corinthians e Atlético Mineiro encostarem com a mesma pontuação, mas ainda atrás do time rubro-negro nos critérios de desempate.

- Sabíamos que seria um jogo difícil, mas estamos infelizes com o resultado - comentou o atacante Guerrero: - Fomos superiores nessa partida, mas demos mole e não vencemos. Teremos um jogo importante na quarta-feira que precisamos vencer.

O peruano marcou o primeiro gol do Flamengo, de cabeça, beneficiado por uma falha de Jandrei, goleiro da Chapecoense, no começo do segundo tempo. Na primeira etapa, a Chape abriu o placar com Canteros, ex-jogador rubro-negro que não comemorou em respeito ao clube com quem tem contrato até o fim do próximo mês.

Neste domingo, Guerrero lutou muito, mostrou evolução na parte física, depois do longo tempo inativo por causa da suspensão por doping sofrida ano passado. Essa semana, terá o julgamento do recurso na Corte Arbitral do Esporte e saberá de uma vez por todas se poderá disputar a Copa do Mundo com o Peru.

— Estou confiante porque sou inocente. Confio na Justiça, não podem impedir de jogar alguém que não fez nada de errado — afirmou.

Quem não pode dizer o mesmo é o árbitro Leandro Vuaden. Desde o começo com atuação confusa, errou ao marcar pênalti a favor da Chapecoense. Foi com ele que o time cravou 2 a 1 no placar, com bela cobrança de Guilherme, ex-Botafogo. Até então burocrático, o Flamengo resolveu jogar e conseguiu o empate com Vinícius Júnior. Quando mais pressionava, viu Leandro Pereira aproveitar um contra-ataque e marcar o terceiro da Chapecoense: 3 a 2.