Flamengo se acovarda no fim e fica no empate em jogo sem torcida contra o River Plate

Flamengo se acovarda no fim e fica no empate em jogo sem torcida contra o River Plate

Não foi por falta de apoio da torcida em um Nilton Santos com portões fechados que a estreia do Flamengo na Libertadores foi decepcionante. O empate em 2 a 2 com o River Plate deixou claro que a preparação da equipe para a competição não resultou em uma formação confiável. O pênalti reclamado na etapa inicial teve lá sua razão, mas em nenhum momento houve controle da partida pelo meio-campo formado por Diego, Paquetá e Everton Ribeiro.

O gol de pênalti de Dourado e o segundo de Everton, o melhor do time, não foram suficientes. Acuado na defesa sempre que ficava á frente no placar, o Flamengo foi pressionado, levou dois gols em desatenção de zagueiros e volantes, e fica com um ponto amargo para avançar no grupo 4. Mora e Mayada marcaram para os argentinos, que saem satisfeitos como visitantes.

Ao optar por Pará e Renê, Carpegiani garantiu um Flamengo consistente na defesa. De fato, o início de jogo brigado foi bem suportado pela equipe. O problema é que do outro lado tinha um River disposto ao jogo de contato. E com isso, os homens de frente do Flamengo não seguravam a bola na frente. Não houve troca de passes nem infiltrações. As únicas eram de Everton pela esquerda, para cruzar na área.

O pênalti na mão de Zuculini não foi marcado, mas em cima de Diego o juiz apitou. Dourado abriu o placar. E no minuto seguinte Mora deixou tudo igual. Na volta do intervalo, Carpegiani recuou o time depois que Everton virou a partida em linda bola enfiada por Paquetá. Mas a entrada de Rodinei surtiu efeito. Em seguida, com o marcador a favor, colocou Rômulo e Arão, e tirou o poder de reação da equipe. O resultado foi um petardo de Mayada que Diego Alves não alcançou. O medo de perder tirou a vontade de ganhar.