Fora dos planos da CBF, Primeira Liga discute calendário de 2017 na segunda

Fora dos planos da CBF, Primeira Liga discute calendário de 2017 na segunda

Em uma reunião agendada para a próxima segunda-feira, a Primeira Liga discutirá o seu calendário de 2017. O encontro já estava marcado anteriormente, mas ganhou relevância na última quarta-feira (7) após a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) divulgar seu cronograma para a próxima temporada e não incluir a competição nas planilhas.

A informação foi confirmada ao UOL Esporte pelo diretor jurídico da Primeira Liga, Eduardo Carlezzo. Segundo ele, a reunião de segunda-feira já determinará o calendário da competição. Ainda de acordo com Carlezzo, a CBF tem conhecimento desse fato. 

Na última quarta, a entidade que comanda o futebol no país divulgou o novo calendário reservando datas para os campeonatos estaduais, regionais, nacionais e internacionais, além de compromissos para a seleção brasileira.

Na hora de citar os regionais, no entanto, falou apenas sobre Copa do Nordeste e Copa Verde. Além disso, citou que a "quantidade de datas para cada competição depende da composicão feita entre as federações e os clubes envolvidos, com anuência da CBF". 

Funcionários da CBF afirmam que o alarde criado para o fato é desnecessário e enxergam como natural a colocação da Primeira Liga entre as datas reservadas para os regionais. São oito datas para este tipo de competição. Nesta temporada, a Primeira Liga foi disputada em cinco, sendo três para a primeira fase, uma para semifinal e outra para a final. 

Além de discutir o calendário de 2017, a Primeira Liga também resolverá uma discussão interna. Como mostrou a ESPN, os clubes do Rio de Janeiro e de Minas Geais gostariam que a competição fosse disputada em sete datas. As agremiações de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul sugerem dez datas, o que dificilmente será aceito pela CBF. 

Hoje, a Primeira Liga tem as presenças de América-MG, Atlético-MG, Cruzeiro, Atlético-PR, Coritiba, Paraná, Chapecoense, Criciúma, Avaí, Figueirense, Joinville, Fluminense, Flamengo, Internacional e Grêmio. Já houve sondagem aos clubes paulistas, mas, em um primeiro momento, eles não se animaram com a ideia.