| Futebol

Gabriel recorda arrancada decisiva: "Escorreguei, levantei e fui embora"

Destaque do Fla na semifinal da Copa do Brasil ressalta persistência após queda no segundo drible em lance de pênalti, mas freia elogios empolgados: "Sou esforçado"

Velocidade, habilidade e confiança. Quando viu a bola vindo em sua direção, após Nixon afastar o perigo da área do Flamengo, Gabriel não tinha muita opção. Jogador mais avançado da equipe, viu três defensores do Atlético-MG na sua frente e partiu para cima. Lembrou os tempos em que disputava os "babas", em campinhos de terra, na Bahia, e se divertiu. O lance, que resultou no pênalti convertido por Chicão, foi o mais badalado da vitória rubro-negra por 2 a 0, mas camisa 17 o tratou com simplicidade e definiu como fruto de persistência e dedicação.

Logo no início da jogada, Gabriel aplica dois dribles consecutivos em Marcos Rocha. No segundo, perde o equilíbrio, cai, mas levanta a segue em frente para deixar Edcarlos para trás e ser derrubado por Josué. Ao falar do lance, o meia-atacante recorda o corredor que se abriu após superar o lateral-direito pela primeira vez, mas substituiu adjetivos mais empolgantes por outro singelo: esforçado.

Gabriel, Flamengo x Atletico-MG (Foto: André Mourão / Agência Estado)A ótima jogada resultou no pênalti que selou o triunfo sobre o Galo, e Gabriel vibrou (Foto: André Mourão / Agência Estado)


- Dei um drible, escorreguei, levantei e fui embora. Tive confiança para dar o outro drible e, graças a Deus, sofri o pênalti. Às vezes, o jogador cai quando não tem mais força. Tive força suficiente e fui embora. Foi uma jogada de habilidade. No primeiro drible, já abriu. Conduzi a bola até perto da área e fui feliz. Sou esforçado. Tenho trabalhado bastante, o professor tem dado confiança, e aconteceu.
  
Gabriel chamou para si o protagonismo ainda ao sofrer falta que iniciou a jogada do primeiro gol e cruzar na medida para Cáceres na sequência. Uma das principais armas do Flamengo no Mineirão, na próxima quarta-feira, o jogador alerta para a força do Atlético-MG em casa e evita entrar no clima de oba-oba por uma vaga na final.

- É um placar perigoso. A equipe deles é forte jogando dentro e fora de casa. Eles jogam para frente, são qualificados. Esperamos fazer um grande jogo lá.

Antes do confronto decisivo com o Galo, o Flamengo terá pela frente a Chapecoense, domingo, às 19h30m (de Brasília), no Maracanã, pela 32 rodada do Brasileirão. Com 40 pontos, o Rubro-Negro é o 11º colocado na competição e precisa de duas vitórias para se livrar definitivamente do risco de rebaixamento.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.