Garotada do Flamengo ganha mais uma: 1 a 0 no Bangu

Garotada do Flamengo ganha mais uma: 1 a 0 no Bangu

Existe uma diferença importante entre o Flamengo e seus principais adversários neste início de Campeonato Carioca — diferença esta que ajuda a explicar os 100% de aproveitamento, mantidos com a vitória desta quarta-feira sobre o Bangu, por 1 a 0, na Ilha do Urubu. Mesmo com a incerteza que cercou o comando após a saída inesperada de Reinaldo Rueda, o time rubro-negro manteve clareza sobre o que precisa atingir no primeiro estágio de sua temporada — e, principalmente, como atingir.

Com três vitórias em três jogos, o time praticamente já carimbou sua vaga na semifinal da Taça Guanabara. Mais importante do que isso, porém, é a mescla entre atletas do time sub-20 e jovens do time principal, que vem garantindo minutos a quem de fato precisa deles neste início de temporada — e sem comprometer o aproveitamento na competição.

O Flamengo não gastou titulares em vão nas rodadas iniciais. O lateral-esquerdo Renê e o volante Rômulo, dois nomes que precisavam recuperar crédito com torcida e comissão técnica, foram os únicos veteranos na formação titular ontem. Na reta final do jogo, Renê levantou a torcida com um chute de longe que raspou o travessão defendido por Célio Gabriel, Rômulo, por sua vez, ouviu aplausos dos cerca de quatro mil torcedores na Ilha do Urubu ao ser substituído no início do segundo tempo.

Ronaldo (21 anos) e Jean Lucas (19), seus jovens companheiros na trinca do meio-campo, mostravam segurança com e sem a bola nos pés. No primeiro tempo, um desavisado pensaria que estava assistindo a um Flamengo com força máxima. Os erros de passe e posicionamento defensivo eram os mesmos de qualquer outro time em início de temporada.

Vinícius Jr. dominou os holofotes mais uma vez, e não por acaso. Muito à vontade numa equipe repleta de velhos conhecidos, o camisa 10 pintou e bordou em lances individuais e jogadas de linhas de fundo. Um desses lances, aos 35 minutos do primeiro tempo, terminou com passe açucarado para Lincoln após deixar três marcadores na saudade. O centroavante, que tem apenas 17 anos, aproveitou para fazer seu primeiro gol no time profissional do Flamengo. E deixou claro que a formatação atual não é benéfica somente para dar segurança a Vinícius Jr.: a recíproca, neste caso, é muito verdadeira.

— Só tenho a agradecer por esse cara — disse Lincoln, referindo-se a Vinícius Jr. na saída para o intervalo. — Conheço desde os 11 anos. Do lado dele as coisas ficam mais fáceis.

Mais preocupado em dar minutagem aos jogadores do que em preservar a formação que funcionara na etapa inicial, o técnico Paulo César Carpegiani fez as cinco substituições a que tinha direito antes dos 25 minutos do segundo tempo. A entrada de mais jogadores tarimbados, como o atacante Geuvânio e o volante Jonas, acabou diminuindo a intensidade da garotada rubro-negra, e o Bangu aproveitou para tentar surpreender. Na melhor chance da equipe alvirrubra, aos 23 minutos, Almir foi lançado por Nilson e achou um canto aberto na saída do goleiro Gabriel Batista, mas o árbitro Leonardo Garcia Cavaleiro percebeu impedimento e anulou acertadamente o lance.

— Já vínhamos acompanhando a garotada do Flamengo, eles têm muita qualidade. Conheço a maioria desde 2015, quando joguei no Flamengo e treinava contra eles — reconheceu Almir.

Vinícius Jr. não se acanhou com as mudanças no segundo tempo e continuou sendo o principal articulador do Flamengo. Aos 41, em boa jogada individual, ele se livrou de dois adversários e só parou na defesa de Célio Gabriel.