Ginastas do Flamengo participam de seletiva para a Gymnasiade

Ginastas do Flamengo participam de seletiva para a Gymnasiade

Foto: Staff Images/ Flamengo

As jovens ginastas do Flamengo, Maria Julia Marques e Beatriz Simão viajam nesta quinta-feira (22) para a disputa da Seletiva Nacional da Gymnasiade. O torneio, organizado pela Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), será realizado em São Bernardo do Campo, em São Paulo, entre os dias 22 e 25 de março. 

A Gymnasiade é o equivalente às Olimpíadas no cenário escolar. O evento acontece de dois em dois anos e reúne os melhores estudantes atletas do mundo. Em 2018, o torneio será realizado na cidade de Marrakesh, no Marrocos, entre 2 e 9 de maio.  

Maria Julia e Beatriz competem na Seletiva Nacional no sábado (24), em busca de duas das cinco vagas na equipe de ginástica artística brasileira. Elas fazem parte da seleção escolar do Rio de Janeiro, e representam o estado na competição que reúne mais de 2 mil jovens de todo Brasil. Renata Valente, técnica das rubro-negras no Flamengo, acompanha a dupla no torneio.

"Elas estão bem treinadas, estão com nível bom para a competição. Estamos todos bem animados porque elas têm chances de se classificarem. Estamos bem esperançosos, trabalhamos para conseguir essa vaga e torcemos para que dê tudo certo", afirmou a treinadora. 

Para que as rubro-negras sejam convocadas para a seleção, os treinamentos foram intensificados nas últimas semanas. 
"A preparação para essa seletiva foi bem cansativa, eu fazia série em todos os aparelhos todos os dias me esforçando o máximo para não errar. Espero que este campeonato seja bom e que eu consiga me classificar", comentou Beatriz.
O Brasil é o atual campeão da Gymnasiade e o título inédito foi conquistado em 2016, na Turquia. 

As equipes de ginástica artística do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.