Goleiro do Flamengo, Alex Muralha quer vaga na Copa da Rússia, com escala na Libertadores de 2017

Goleiro do Flamengo, Alex Muralha quer vaga na Copa da Rússia, com escala na Libertadores de 2017

Após três empates, o Flamengo volta ao Maracanã hoje, às 17h, contra o Santos. Mesmo sem chances de título, o jogo vale muito. É um passo importante para tentar alcançar os R$ 10,7 milhões de premiação da CBF pela vice-liderança e poder garantir, em caso de vitória, uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores. Para Alex Muralha, é uma demonstração de que leva a sério todas as partidas. Jogador que só aos 26 anos estreou na Série A, com o Figueirense, o goleiro já pensa em participar da Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

TABELA: Jogos e classificação da Série A

— Só de fazer parte do grupo da Copa do Mundo já é um sonho. Vou trabalhar muito para isso. Como o Tite fala, é merecimento — disse o jogador em conversa com o GLOBO, relembrando sua primeira convocação. — Fiquei sabendo por alguns amigos, enquanto estava dirigindo, e achava que era sacanagem, mas começaram a aparecer mensagens no celular.

Mineiro de Três Corações, cidade onde nasceu Pelé, o goleiro, que havia rodado o futebol do interior paranaense e paulista, com uma breve passagem pelo Japão, viu o brilho no Figueirense e no Flamengo abrir as portas para a seleção.

“Mas, e agora, como funciona esse negócio?”. Recorreu a companheiros que já haviam sido convocados para saber que não era necessário levar muita coisa, só alguns objetos pessoais. E ouviu uma dica:

— Disseram: “Se prepara, vai ter trote. Decora uma música, uma piada e uma dança” — contou o jogador, que acabou aliviado pelo fato de ter chegado num domingo e o elenco só ter ficado completo dois dias depois. — Os companheiros criaram esse monstro, mas até que o Neymar e o Daniel Alves foram bem tranquilos.

'TÁ COM MORAL, HEIN'

Muralha ainda não entrou em campo pelo Brasil. Alisson, do Roma, e Weverton, do Atlético-PR, estão à frente. Marcelo Grohe, do Grêmio, também já foi chamado por Tite. Diego Alves, do Valencia, é visto como potencial concorrente. Recém-operado, Jefferson, do Botafogo, começa a ficar mais longe de uma vaga. Apesar de não ter estreado, o goleiro já conheceu o carinho da torcida. Em Natal, sua primeira viagem com a seleção, só não foi mais ovacionado do que Neymar:

— O Taffarel (preparador de goleiros) falou: “Pô, tá com moral, hein!”. Falei para ele que é a camisa (do Flamengo), né?!

Embora novato na seleção, o jogador tem um palpite sobre o que fez Tite para mudar a cara do time. Com seis vitórias seguidas, a seleção é líder das eliminatórias e não deve ter problemas para garantir uma vaga na Rússia.

— O Tite trata o cara que cata o lixo e o Neymar da mesma forma. Por isso, todos o abraçam dessa forma. E tem muita qualidade. O Fernandinho (treinado por Pep Guardiola, no Manchester City) diz que ele está no nível dos caras lá de fora. A gente via que o Brasil estava precisando de reformulação, estava um pouco atrasado — analisou.

PONTE NO CAMINHO

Se o contato com Tite ainda não é tão grande, a relação com Zé Roberto ajuda a explicar o crescimento do time no Brasileiro. Em 29 de maio, o primeiro jogo do treinador foi a segunda partida de Muralha no ano, que resultaria na sua titularidade definitiva.

— Em todos os clubes, nunca cheguei jogando, sempre briguei por posição. Aqui, soube esperar trabalhando. Aquela partida era contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, às 11h. A gente acordou bem cedo e só soube na preleção. Isso me pegou de surpresa — revelou o jogador sobre a partida que terminou com vitória do Flamengo por 2 a 1.

No jogo de hoje, além do vice-campeonato, o rubro-negro vai buscar a primeira vitória do ano na cidade do Rio. Até agora, foram cinco jogos (quatro empates e uma derrota). Só no Maracanã, três empates. Muralha lamenta esses pontos perdidos.

— O que aconteceu é difícil de explicar. A gente fez o que sempre faz, o que o professor passa, mas ainda temos a oportunidade de fechar o ano com uma vitória e nos classificarmos direto para a fase de grupos da Libertadores, evitando aquela fase pré-Libertadores que é mais complicada. São mais jogos, mais desgaste, mais viagens.

Grato pelo “cheirinho” criado pela torcida e alimentado pela equipe durante uma parte do Brasileiro, ele garante que o aroma vai acompanhar o time na Libertadores.

— A torcida fez um jeito carinhoso de nos estimular e pode ter certeza que vai continuar, sim. Teve uma repercussão muito boa, nos incentivou muito e não acabou por aqui. No ano que vem, tudo o que nós disputarmos vamos brigar para sermos campeões — garantiu.

FLAMENGO X SANTOS

Flamengo: Alex Muralha, Pará, Réber, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Diego; Gabriel, Everton e Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Yuri e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Jr.

Juiz: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao (GO).

Local: Maracanã

Horário: 17h

Transmissão: Premiere e Rádio Globo/CBN.