​"Estou tranquilo. Vamos fazer força para ganhar. Estou unido com com todo o grupo e meus companheiros. Eles têm todo o meu apoio. Vamos, Peru", disse o peruano, em entrevista à rede de televisão Latina, de seu país.

Segundo o site ​UOL Esporte, a tendência é que o atleta siga para a sede da Fifa, na Suíça, para receber a contraprova. Guerrero viajou com um advogado e um bioquímico, que tentam entender e se inteirar da situação para montar a defesa do camisa 9. Em entrevista à Rádio Nacional, do Peru, o pai do jogador, José, negou que o filho tenha feito uso de cocaína.

A Fifa já suspendeu Guerrero preventivamente por 30 dias. Dessa forma, o atacante está fora do Brasileirão e da Copa Sul-Americana, com o Flamengo, e da repescagem para o Mundial, com a Seleção Peruana. Se o uso de cocaína for confirmado, o jogador pode pegar um gancho de até quatro anos.

​​

​​