Guerrero revela luta para não se abater e ansiedade para voltar ao Fla

Guerrero revela luta para não se abater e ansiedade para voltar ao Fla

Paolo Guerrero não gosta de chamar atenção e, desde que foi condenado por doping, raramente abre o jogo. Mas, em entrevista ao canal "ESPN" da Argentina, o peruano comentou sobre a agonia de estar longe dos gramados e a ansiedade para voltar ao Flamengo, com quem tem contrato até agosto, e à seleção peruana.

— Conversei um dia com o Carpegiani. Tive uma reunião no clube com as autoridades e pude conhecê-lo. Conversamos pouquíssimo, mas ele disse que estava me esperando — afirmou o atacante. — Eu sabia que o Flamengo iria me inscrever (na Libertadores), tenho contrato até agosto. Estou tranquilo, mas espero resolver isso o mais rápido possível e poder fazer o que eu mais amo.

Suspenso por doping até o dia 3 de maio, o peruano estará liberado para voltar a treinar nas instalações do Flamengo 45 dias antes: a partir do próximo dia 20. No momento, o contrato do jogador com o rubro-negro está suspenso, mas há conversas para a reativação do vínculo. Enquanto isso, a defesa de Guerrero recorre à Corte Arbitral do Esporte (CAS) para tentar anular a pena de seis meses.

— Estou passando por uma injustiça, como todos sabem. Não é uma questão difícil de resolver, não sei por que está demorando tanto. A minha paciência está cada vez mais curta — desabafou. — Chego a perder o sono, mas tento me manter forte mentalmente e não me deprimir. E me concentrar nos meus treinamentos, que me ajudam a esquecer esse momento pelo que estou passando. Alguns dias me abato,mas graças a Deus tenho os meus pais comigo. São minha fortaleza.

OUTROS TEMAS DA ENTREVISTA

Mudança de técnico:

Foi difícil a saída do professor Rueda, tínhamos boa comunicação e uma grande amizade. Nos escrevíamos mensagens depois de cada partida quando eu não podia jogar. Nos parabenizávamos pelos bons resultados. Para mim, foi um balde de água fria. Mas desejo tudo de melhor para ele na seleção chilena.

Futuro no futebol:

Se um dia tiver a oportunidade de jogar aqui na Argentina, venho. Se tiver a oportunidade de jogar na Europa, vou para a Europa. Mas, por enquanto, vivo o presente. Sou jogador do Flamengo, estou muito feliz.

Copa do Mundo:

Tenho pensado pouco. Primeiro, estou focado em mim, preciso me preparar bem para começar a jogar. Não quero pensar que estou me preparando para jogar o Mundial. Quero pensar que o Paolo precisa se preparar muito bem para que, quando voltar a jogar, seja pelo clube, seja pela seleção, vá bem. Se penso em Copa, vou começar a me desesperar e não vou chegar bem.