Haja leite com pera e “ovomaltino”!

Haja leite com pera e “ovomaltino”!

Salve, Salve Nação Mais Linda do Mundo!

Ontem protagonizamos mais uma amostra da pasmaceira congênita que impera no elenco rubro-negro. Entra técnico e sai técnico, os atletas continuam mandando, literalmente, no Mais Querido. E nós, da Magnética, continuamos sendo reféns desses tipos de atitude por parte de jogadores e diretoria comprometidos apenas consigo mesmos.

Viramos os reis do suco de pera! Moleques mimadinhos, filhinhos de papai e criados pelas avós em playgrouds de tomaram de assalto o clube mais popular do Brasil. Abrimos um estabelecimento onde tem open bar de “ovomaltino” com leite de búfala acompanhado de queijo gorgonzola e salada de rúcula com manga e tomate seco. Uma frescuragem interminável!

Digo isso devido aos fatos que vão se repetindo. Ontem, o discurso pós-empate foi o mesmo de sempre, contemporizador e usando a velha máxima que não estão satisfeitos com o resultado, precisam melhorar e blá, blá, blá!!!. Agora me digam: como melhorar, caras pálidas? Esse papo já vem desde 2016, e virou um círculo vicioso.

O pior é que não vemos indignação na cara dessa gente, não vejo os olhos brilhando após as derrotas. Tanto faz perder ou ganhar, a emoção é a mesma: nenhuma! De onde sairá o brio necessário para que percebamos que alguma coisa realmente mudará? Enquanto esse padrão estéril continuar perdurando, não chegaremos a lugar algum, simples assim.

Sabem o que é ainda mais indignante? O Diego e o Réver tiveram a cara-de-pau de isentar o juiz do jogo contra o Vitória. Isso mostra que, além de não acreditarem no companheiro de equipe, que não colocou a mão na bola (as imagens são claríssimas), ainda falaram que os jogadores tinham que “ajudar” o juiz. Me poupem, não é mesmo?

A verdade é que esse elenco tem líderes bem definidos, são os donos do pedaço que mandam e desmandam no futebol do clube. O monarca dessa pasmaceira é o senhor presidente, EBM, cujo qual não sabe NADA dos meandros do futebol. Mesmo assim quer mandar e desmandar no departamento e sabota toda e qualquer decisão que tenha opinião contrária à sua.

Não obstante a isso, as pessoas que passam pelo departamento mais importante do clube são meros asseclas, coadjuvantes inúteis, nessa engrenagem deturpada e que são cerceados de qualquer arremedo de mudança benéfica aos rumos do futebol do Mengão. Enquanto esse senhor, que está mais preocupado com sua vida privada do que com o clube, estiver na presidência, não ganharemos nada.

O negócio é sério e vai muito além das quatro linhas. As coisas não andam porque não há cobrança. Alguém tinha que falar com os jogadores de forma forte e cobrar os resultados esperados por todos. Isso não acontece. Falo com propriedade, pois muita informação que não chega aos torcedores acabam chegando para nós que acompanhamos diariamente o futebol do Flamengo.

O nosso presidente, ao invés de cobrar, pediu ajuda aos jogadores. Pode isso? O Lomba foi “convocado” para aquela badalada reunião onde os jogadores cobraram explicações sobre as palavras duras, mas justas, proferidas por ele após a eliminação do campeonato carioca. E foi feito um pedido de desculpas, externado prontamente por nosso presidente banana.

Se o Lomba tivesse alguma hombridade, teria entregado o cargo logo após a reunião onde os jogadores esfregaram os números do GPS na cara da diretoria para dizer que correram. Que disparate! Oras, todos nós sabemos que números são meros coadjuvantes na análise do futebol e que viraram a muleta dos incompetentes, eles utilizam-se desse artifício para justificarem o injustificável.

Tem muita gente que se baseia tão somente em números para mensurar rendimento, mas eu os alerto de que futebol não se baseia apenas em números. A estatística apenas auxilia na percepção das coisas, sendo útil na tabulação e coleta de dados. Futebol não é ciência exata! As percepções são totalmente subjetivas e sua natureza não deve ser deturpada.

Outro ponto a ser tocado é em relação ao técnico da equipe. Quem aceitaria comandar o Flamengo com as coisas ocorrendo desta maneira? Os jogadores estão decidindo tudo: quando jogar, de que forma jogar e nenhum deles cumpre a função tática que os técnicos solicitam. Enquanto um técnico não tiver carta branca para barrar jogadores e fazê-los cumprirem seus papéis, nada mudará.

Tomemos como exemplo, especificamente no jogo de ontem, o Diego. O cara não jogou absolutamente nada! Aliás vem se apresentando muito abaixo do aceitável há bastante tempo. Mas parece que ele é intocável! Ao final do jogo, mais uma apresentação péssima de sua parte, seu penteado estava incólume. Como assim? Além disso, deviam dar uma bola pra ele jogar sozinho. E tenho a certeza de que este seja o grande líder deste motim velado no futebol do Mengão.

Atentem para o fato de que não o estou responsabilizando pelos resultados insatisfatórios da equipe. Se estamos colhendo insucessos sucessivos, devemos deixar bem definido que nosso futebol, técnica e taticamente, vem deixando a desejar, coletivamente, desde o final de 2016. Mas alguns atletas já fizeram por merecer levar uma “enquadrada” e isso só acontecerá quando tivermos um departamento com LIBERDADE para trabalhar.

Enquanto isso não acontece, nada do que escrevi nestas breves laudas mudará. Eu lhes digo com toda e honesta sinceridade: não acredito em melhora antes da troca dessa gestão. EBM está ilhado politicamente devido às suas ações ditatoriais. Ele quer o crédito para tudo que acontece dentro do clube, e todos nós sabemos o que acontece com líderes que agem dessa forma.

Vamos torcer! Para que 2019 chegue logo, e para que elejamos uma diretoria proba financeiramente, mas que se assessore de profissionais gabaritados para gerir o maior e mais importante departamento do Clube de Regatas do Flamengo. Nosso trem pagador está descarrilando, e o grito de urgência em recolocá-lo nos trilhos pode ser ouvido nos quatro cantos da Gávea.

O que nos resta é aguardar e continuar a apontar os pontos onde achamos que a diretoria deve melhorar. Delegar é uma arte, “largar o osso” é difícil. Para conhecer o âmago e a índole do homem, dê-lhe o poder! Essa frase nunca foi tão análoga à situação atual do Flamengo. E tem sido cada vez mais o retrato de nossa diretoria.

Vamos observar como todos comportar-se-ão futuramente. Veremos se as coisas mudarão para melhor. Muito pode ser feito para a retomada de nosso futebol. Mas isso deve ter início na parte de cima da “cadeia alimentar”, senão a vaca vai, literalmente, pro brejo. Já passou da hora! Acorda, meu povo! Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo simplesmente é!!!
Saudações Rubro-Negras a todos!

Fabio Monken
Follow @fabio_monken

Sugestões? Críticas? Elogios?
Deixe seu comentário e faça-o com educação e respeito.
O Debate SEMPRE é salutar, mas a ignorância e a falta de educação são os combustíveis dos fracassados!