| Futebol

Inspiração, jogadores do Fla encaram ''duelo'' contra crianças na Gávea

Olivinha, Felício e Gegê visitam escolinha do Rubro-Negro, fazem jogo com os<br>pequenos e celebram dia as crianças às vésperas de duelos diante de times da NBA

 

Alguns deles quase não alcançam a cintura dos ídolos. Ficam na ponta dos pés para cumprimentá-los, precisam dar saltos para tentar uma marcação. O olhar de cada um demonstra admiração. Campeões dos principais torneios disputados nos últimos anos, os jogadores do Flamengo se tornaram fonte de inspiração e referência para quem sonha dentro das quadras de basquete. Para comemorar o Dia das Crianças, o GloboEsporte.com levou os campeões intercontinentais Olivinha, Gegê e Felício para um treinamento na escolinha do Rubro-Negro. O encontro aconteceu na sede da Gávea, antes do embarque para os jogos da pré-temporada da NBA, nos Estados Unidos. Lá, eles fizeram a alegria de crianças entre oito e quinze anos. Além de um bate-bola e disputa de arremessos, mostraram bom humor e encararam uma sessão de perguntas dos pequenos. À vontade com os ídolos, as crianças deixaram a timidez de lado (veja no vídeo acima).

Jogadores flamengo basquete crianças escolinha (Foto: Amanda Kestelman)Jogadores fazem a diversão de meninos da escolinha (Foto: Amanda Kestelman)



Olivinha acabou voltando no tempo. Após o bate-bola descontraído, onde viu os pequenos tentarem o marcar, o ala-pivô lembrou de quando começou a dar seus primeiros passos nas quadras. Além de confessar que ainda carrega muito seu jeito de ''moleque'' nos dias de hoje, afirma que costumava dar muito trabalho durante seus primeiros passos como jogador.

saiba mais
  • NBA Global Games: concorra a ingressos
  • Baixe o wallpaper do Flamengo campeão
  • Veja como foi a conquista do Flamengo

 - Eu não era nem um pouco comportado. Quando eu vinha para a escolinha de basquete, queria mais era ficar brincando. Já fui até expulso de uma escolinha porque passava o tempo todo rindo. Isso é típico da idade. Mas do tempo de criança, ficou mais a irreverência. Procuro estar sempre brincando com meus companheiros, tentando interagir da melhor maneira possível. Agora me sinto orgulhoso, antes de mais nada, em ter todo o carinho dessa criançada - disse Olivinha.

Os 2,02m de altura e a responsabilidade de ser um profissional do Flamengo, de fato, não mudaram tudo em Olivinha. Com o habitual bom humor, ele revelou que até hoje gosta das brincadeiras da época de menino.

Jogadores flamengo basquete crianças escolinha (Foto: Amanda Kestelman)Felício se diverte com menino que tentam o alcançar (Foto: Amanda Kestelman)

- Até hoje jogo bastante videogame. Todo dia, praticamente. Quando tenho tempo livre, também vejo desenho animado. Já vi bastante. Acabou de sair o filme dos Cavaleiros dos Zodíacos, fui ver no cinema - brinca.

Cristiano Felício era um menino mais tímido na infância. E ainda carrega isso em sua personalidade. Na memória, guarda a primeira cesta que fez. Mesmo sem toda a estatura que tem hoje e com bem menos técnica, ele lembra que foi uma bonita bandeja.

- Eu brincava com os garotos mais velhos da escola e um professor me chamou para jogar. Fui brincando. Lembro que a primeira cesta foi de bandeja. Eu era grande, mas sempre fui um cara tímido, demorava um pouco mais para interagir - lembra o atleta, que foi o sucesso entre os pequenos jogadores que tentaram o desarmar durante a brincadeira.

Na semana passada, os jogadores do basquete rubro-negro fizeram parte de um feito histórico para o clube. A equipe comandada pelo técnico José Neto venceu o atual campeão europeu, o Maccabi Tel Aviv, e faturou a Copa Intercontinental de Clubes. Antes, eles haviam vencido a Liga das Américas, torneio que os credenciou para a disputa. As conquistas recentes os tornaram ainda mais ídolos e um espelho para os pequenos que treinam, ainda de brincadeira, na Gávea. O armador Gegê reconhece a responsabilidade.

- É uma alegria enorme, motivo de inspiração. Passar isso para eles, é muito digno para a gente. Acho que essa responsabilidade só aumenta. Hoje somos reconhecidos por esse tanto de crianças que sonha chegar aonde chegamos. É marcante para qualquer um. Quando crianças, a maior distração é ser feliz. Hoje é diferente, mas continuamos jogando com alegria - conta Gegê.

Na sede da  Gávea, a escolinha do Flamengo recebe jovens até 18 anos. A delegação rubro-negra já está nos Estados Unidos, onde vai encarar três jogos na pré-temporada da NBA. Os duelos são contra Phoenix Suns (8/10), Orlando Magic (15/10) e Memphis Grizzlies (17/10). Acompanhe todos os passos do time por lá no Diário rubro-negro.

Jogadores flamengo basquete crianças escolinha (Foto: Amanda Kestelman)Jogadores do time profissional jogam com crianças (Foto: Amanda Kestelman)


Jogadores flamengo basquete crianças escolinha (Foto: Amanda Kestelman)Olivinha ''encara'' a marcação (Foto: Amanda Kestelman)


Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.