Seu vínculo é de mais seis meses com o Rubro-Negro e existe a possibilidade de retorno para o Inter, que agora viverá a realidade de disputar uma Série B. Perguntado sobre qual seria a sua preferência para o futuro profissional, o xerifão não pestanejou:

"Hoje eu não sei (o meu futuro) e não cabe a mim decidir e entrar nesse detalhe. Acredito que tudo está sendo conversando entre meu empresário e a diretoria do Flamengo. Eu já manifestei que meu desejo é permanecer no Flamengo", disse à ​ESPN.

Há alguns meses, pouco antes de encarar o Atlético-MG (onde é ídolo) no Mineirão, Réver já havia sinalizado sua preferência pela continuidade na equipe carioca:

"Tenho contrato de um ano, mas espero que seja renovado (NR: fala-se em compra definitiva ou até mesmo uma troca envolvendo seu nome). Vai depender do que acontecer no Brasileiro, mas tenho trabalhado dia após dia buscando conquistar meu espaço e a confiança do torcedor. Títulos e boas atuações fazem com que as coisas aconteçam naturalmente. Meu maior objetivo é permanecer aqui e construir uma história para, quem sabe, ficar o resto da minha carreira no Flamengo", disse na ocasião.

Apesar do desejo expresso de ficar no Fla, o defensor não esqueceu de comentar o momento conturbado que vive o Colorado:

"Não cheguei a conversar com ninguém de lá. Gera tristeza. Não está sendo fácil para meus amigos e companheiros. Mas fica a minha torcida para que o Inter possa absorver bem isso. O quanto antes eles vão estar na Série A, que é seu lugar. Acredito que vai demorar muito para os jogadores assimilarem o que aconteceu. Futebol é dessa maneria e o Inter acabou sofrendo pela campanha que deixou a desejar. Sabemos que o Inter é muito grande e vai superar as dificuldades neste ano. Mas não sei o que muda em relação a mim", comentou.