| Futebol

INVASÃO RUBRONEGRA

ARRASTANDO A BUNDA NO CHÃO

 

Por mais que estejamos acostumados com a grandeza do Flamengo, por mais habituados que nos sintamos com a mobilização que acontece em suas partidas, por mais recordes de público em TODO o país com os quais tenhamos convivido durante nossas vidas, é absolutamente impossível não se impressionar ao nos depararmos com o que acaba de acontecer em Manaus.

Ingressos se ESGOTAREM no PRIMEIRO dia de vendas de uma partida que só acontecerá no dia 25, com nossa equipe no meio da tabela, enfrentando outra na zona de rebaixamento, a MILHARES de kilômetros da nossa cidade de origem, superando o público do jogo de estréia do estádio na Copa do Mundo, não só impressiona como surpreende.  

Como um clube com TODO esse poder, o explora TÃO POUCO? COMO? Como um mercado consumidor com esta capacidade pode ficar esquecido por 10 anos? Como uma paixão desse tamanho pode ter deixado de ser alimentada e retribuída por tanto tempo? Será que nosso adversário teve uma percepção melhor do que a nossa, com relação ao nosso potencial na região?

Não seria a hora dos nossos atuais gestores enxergarem, e explorarem, esse ENORME potencial de captação de recursos e possibilidade de aumento no nosso PST? Diante desse interesse tão impressionante, não poderíamos nos progamar para jogar, uma vez ao ano que fosse, nesses locais onde nossos torcedores são maioria absoluta?

Poderia ser na pré-temporada, Carioca, Brasileiro ou amistoso, não importa. Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste são redutos rubronegros comparáveis ao próprio Rio de Janeiro.

Nosso Presidente Eduardo, que constantemente cobra de nossos torcedores uma maior participação no PST, antes de mais nada, deveria olhar essa possibilidade com mais carinho. Retribuir com nossa presença  a devoção de todos esses torcedores apaixonados, responsáveis diretos por podermos dizer que somos A MAIOR DE TODAS.

Não podemos deixá-los restritos a jogos pela TV, por TANTO tempo. Mesmo porquê, se todo esse povo continuar dependendo apenas de TV para exercer sua paixão, alguns poderão acabar sucumbindo a toda a propaganda que vemos diariamente, a favor de equipes da “Argentina Brasileira”.

 

                        ODEIO BARBADAS !!!

Dentro dessa desumana maratona de jogos a qual temos sido submetidos, acredito que muita gente possa estar imaginando hoje uma partida mais tranquila, sem necessidade de arrastar tanto a bunda no chão ou mesmo que não haja necessidade de utilizarmos todos os titulates.

NÃO EU!

Tenho verdadeiro HORROR a “Barbadas”, assim como traumas com equipes chamadas “América”, não necessariamente mexicanas. Os mais “experientes” devem se lembrar como era duro para nós bater o “Mequinha Carioca”.

Por isso, torço para que a seriedade seja a mesma mostrada contra o Cruzeiro e, de preferência, com a mesma equipe. Se alguém precisar ser poupado por desgaste, que seja no fim de semana contra nosso vice paranaense.

Ao carimbarmos nossa vaga nas semi-finais hoje, já garantiremos, no mínimo, uma senhora (MUITÍSSO BEM VINDA) grana, com bilheteria, premiação e direito de imagem na TV, além da garantia de vermos novamente um Maraca inteiramente colorido de preto e vermelho, no jogo das semi-finais da Copa do Brasil.    

E esse Flamengo que temos visto, tem mesmo mais cara de Copa do Brasil do que de Brasileiro. Tem mais cara de mata-mata do que de pontos corridos. Não sei se seremos novamente Campeões, mas, ao contrário de algum tempo atrás, não me surpreenderei mais se formos. Pelo contrário!

Acredito MUITO na capacidade do nosso treinador, dos nossos jogadores e, mais ainda, por perceber uma absoluta sintonia time\torcida. Se nossos jogadores vêm “arrastando a bunda no chão”, nossa torcida tem respondido da mesma forma.

Isso mesmo! Apoiar a equipe desde a lanterna, botar mais de 40 mil pessoas de média no Maraca, bater recorde de público em TODOS os lugares, virar partidas no grito, aplaudir equipe depois de derrota, esgotar ingressos em Arena de Copa no 1º dia, injetar mais de 30 milhões anuais nos cofres do clube, não pode também ser classificado como torcer “RALANDO A BUNDA NO CHÃO”?  

E quando esse ABRAÇO se estabelece, a gente sabe que o “impossível” deixa de existir, não é mesmo? No Brasileirão, tudo bem, não dá mais. Mas na Copa pode dar, SIM!

Depois de hoje, vamos encarar jogos duríssimos na fase final, é verdade. Mais até do que no ano passado. Mas jogando com essa aplicação, dedicação, disposição e raça que temos visto, mais o apoio dessa MASSA INCOMPARÁVEL, estejam certos, independentemente de quem aparecer na nossa frente, passar por nós vai ser MAIS DURO AINDA.

O quê? Rebaixamento? Me perdoem, mas desconheço essa palavra.

 

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.