O time trabalha nas duas frentes para conseguir retornar à Libertadores do ano que vem e o capitão Réver vê a pressão como um fator normal do futebol, sobretudo para um clube gigante como o Rubro-Negro:

"A frustração do torcedor também é a nossa. Dependemos de resultados e somos contestados por isso. Precisamos tomar cuidado com o momento que vivemos. A cobrança sempre vai existir. Apesar disso, não podemos achar também que tudo está errado. Sofremos com algumas situações, mas dominamos as últimas partidas e não fizemos gols. Acredito que acertar esse equilíbrio será o fator principal daqui para frente", resumiu o xerife.

Contratado no meio do ano como o principal nome da janela de transferências do Fla em 2017, Everton Ribeiro foi na mesma linha do colega:

"Temos um bom elenco, bons jogadores e uma comissão técnica trabalhando forte. É a hora de buscar um algo a mais e voltar a vencer", projetou o meia-atacante.

Pelo Campeonato Brasileiro, a equipe volta a campo na próxima quinta-feira, 12, diante do Fluminense no Maracanã. O rival tricolor, aliás, é justamente o adversário das quartas de final da competição sul-americana. Pode ser o divisor de águas.