| Futebol

Jogo das Estrelas reúne ídolos e mais de 50 mil torcedores

Partida beneficente organizada por Zico chega à 11ª edição com público de decisão no Maracanã; Galinho e Petkovic marcam e emocionam rubro-negros

Zico e Pet se abraçam no Maracanã

Zico e Pet se abraçam no Maracanã

Com mais de 51 mil torcedores entrando no Maracanã - em grande maioria rubro-negros - o entorno do estádio lembrava final de campeonato, mas a movimentação era pelo Jogo das Estrelas. A partida beneficente organizada por Zico, já tradicional no final do ano, chegou na tarde deste sábado (27.12) à 11ª edição. Antes de a bola rolar com os ex-jogadores, nomes como José Aldo, Diogo Nogueira e Toni Garrido fizeram a preliminar no gramado do Mário Filho. No jogo principal, com tantos craques em campo, o placar não poderia ser magro: 10 a 9 para o Time Branco, de virada.

Além dos gols e do show da própria torcida, a galera da arquibancada se deliciou com o desfile de qualidade técnica de ídolos do futebol. Entre eles, uma série de campeões pelo Flamengo, como o próprio Galinho, dono da festa, o Maestro Junior, Tita, Petkovic, Leonardo, Alcindo, Renato Gaúcho, além de atletas do elenco atual rubro-negro, como Léo Moura e Wallace. O maior ídolo da Nação Rubro-Negra entrou em campo com a neta Alice no colo e foi o mestre de cerimônia da entrega de placas e medalhas aos ex-jogadores estrangeiros.

"Fico muito agradecido pela presença de vocês. Fazemos hoje uma homenagem especial aos estrangeiros que jogaram com a camisa de grande clubes do futebol brasileiro e peço uma salva de palmas por tudo que eles fizeram", disse o Galinho, que foi o responsável por entregar o presente em mãos para Petkovic. O abraço entre os dois grandes ídolos arrancou aplausos da Nação. Confira:



Gols de Zico e Pet animam a torcida
O Time Vermelho foi o que abriu o placar, com uma bela jogada entre Zico e Léo Moura, para alegria dos rubro-negros presentes em grande número. O eterno camisa 10 lançou para o lateral, com habitual categoria, de trivela; Léo recebeu em velocidade e chutou cruzado para balançar a rede. Petkovic ampliou após belo passe em profundidade de Robinho e marcou um golaço - cara a cara com o goleiro, Pet deu drible desconcertante no arqueiro e empurrou para o fundo do gol, fazendo os torcedores do Flamengo lembrarem da maestria do Sérvio em campo. Confira:



O 3 a 0 veio um minuto depois. Leonardo acertou cruzamento milimétrico para Renato Gaúcho, que cabeceou para marcar, reeditando a dupla tetracampeã brasileira pelo Flamengo em 1987. Aristizábal foi quem diminuiu para o Time Branco, após passe de Etcheverry, aos 20 minutos.O colombiano fez seu segundo em perfeita cobrança de falta, aos 24 minutos. Aos 26, o dono da festa marcou o seu: depois do domínio, Zico bateu cruzado, no pé da trave; na comemoração, sambadinha com Robinho, que "engraxou" sua chuteira. Aos 39 minutos, Aristizábal marcou o terceiro - dele e do Time Branco. Dois minutos depois, Leonardo aumentou novamente a vantagem do Time Vermelho, completando de chapa no cantinho do goleiro: 5 a 3.

"Meu gol também fica de presente para a Sandra, minha companheira há tantos anos, que hoje faz aniversário. Meu irmão Antunes me ensinou que quando o goleiro fecha um ângulo, a gente tem que bater cruzado", explicou Zico, que também contou porque voltou atrás de sua decisão de não jogar neste ano. "Não tinha como ficar de fora depois da galera pedir e da presença de Ademir da Guia, com 72 anos", brincou o Galo. Confira o gol dedicado à Sandra:



Virada do Time Branco e pequeno Felipe em campo
Na segunda etapa, Robinho marcou o sexto do Time Vermelho, com passe de Zico, logo aos quatro minutos. Menos de um minuto depois, Roger Flores diminuiu para o Branco, deixando 6 a 4 no marcador. Falcão, o melhor jogador do mundo de futsal, marcou o quinto do Time Branco, com belo chute de primeira. O gol de empate veio com Alcindo, de cabeça, pouco depois de sua entrada em campo. Robinho deixou novamente os Vermelhos à frente, marcando dois gols quase em sequência, mas Seedorf e Falcão logo deixaram tudo igual de novo: 8 a 8. A virada ficou por conta de Rafinha, com gol de oportunismo após passe de Roger. Aos 44, Seedorf marcou mais um, de cobertura, para o Time Branco. Mas, faltando um minutinho para o apito final, Felipe, neto mais velho de Zico com oito anos, entrou em campo, para orgulho do vovô, com a famosa camisa 10. O Galinho tentou o passe para o garoto, a bola acabou passando a linha, mas a comemoração ficou toda para o pequeno Felipe, que, afinal, foi quem estufou a rede. O gol não valeu a vitória para seu time, mas valeu os últimos momentos da linda festa no Maracanã.

"Hoje ele conseguiu trocar uns passes. É bacana poder homenagear a família desta maneira e estou muito feliz. O que vale aqui é a festa, a confraternização. Temos sempre que ser bons anfitriões, os convidados vieram de longe", disse o bom humorado Zico.

Time Vermelho (Amigos do Zico): 1 - C. Germano; 2 - Léo Moura (André Santos), 3 - Wallace, 4 - Hugo de Leon (Fernando) e 5 - Júnior (Thiago Coimbra); 6 - Leonardo (Arthurzinho), 7 - Renato Gaúcho (Emerson Sheik), 8 - Juninho Pernambucano (Diego Souza) e 9 - Petkovic (El Tigre Ramirez); 10 - Zico e 11 - Robinho.

Time Branco (Estrelas do Futebol): 1 - Gato Fernandez (Gatito Fernandez); 2 - Sérgio Ramirez, 3 - Daryo Pereira, 4 - Aldair, 6 - Serginho; 5 - Rincon, 7 - Romerito (Roger Flores), 8 - Etcheverry (Ademir da Guia/ Tita); 10 - Seedorf; 11 - Aristizábal (Alcindo); 9 - Asprilla (Rafinha). Técnico: Edu Coimbra, irmão de Zico

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/20138/jogo-das-estrelas-reune-idolos-e-mais-de-50-mil-torcedores

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.