"É motivo de muito orgulho sair da arquibancada, jogar na escolinha do clube e completar 300 jogos pelo time do coração. É motivo de muito orgulho, justamente num jogo tão importante, contra um arquirrival", opinou.

Mais do que o feito em si, o veterano teve motivos de sobra para comemorar. Afinal de contas, foi um dos melhores em campo. Na sua visão, graças também ao modelo de jogo treinado pelo técnico Reinaldo Rueda:

"Tem menos espaço para cobrir, né. Talvez a gente não suba com tantos jogadores para o ataque, a gente não chega com número grande como antes, não envolve o adversário como antes. Mas estamos mais consistentes e preservados lá atrás. Até porque do meio para frente temos jogadores capazes de decidir em um momento. Acho que fiz uma grande partida, assim como meus companheiros. O Flamengo se portou muito bem dentro de campo. Difícil falar. Tenho noção de que fiz uma grande partida, assim como todos meus companheiros. Falar quem foi o melhor não é muito importante neste momento", avaliou o veterano.