Já no Rio de Janeiro para realizar exames médicos e assinar com o Flamengo, o goleiro Diego Alves vem sendo encarado como a peça que faltava para completar o elenco. Vivendo um período de dificuldades na posição com a má fase de Alex Muralha e a juventude de Thiago, o clube foi atrás da oportunidade que surgiu ao ver que o arqueiro de 32 anos se tornara negociável aos olhos do Valencia.

O que muita gente se perguntou foi o motivo desta disponibilidade. Exímio pegador de pênaltis e titular da equipe espanhola há tantas temporadas, por qual razão foi vendido por "módicos" 300 mil euros (e ainda parcelados)? Com base nestes questionamentos, o site ​UOL Esporte foi atrás dos números do brasileiro para tentar entender a situação. 

De acordo com o levantamento feito pela reportagem, de fato o percentual de defesas de pênaltis continua alto: 47%. Porém, quando o assunto é defesas com bola rolando, as estatísticas despencam. De um total de 160 bolas em direção ao gol de Diego Alves; 85 foram defendidas. Com isso, o goleiro defendeu 53% das bolas atiradas contra a sua meta: a marca é a pior dentre todos os goleiros que disputaram pelo menos 30 partidas na liga espanhola.

Importante ressaltar, porém, que analisar os números friamente não quer  dizer muito. A qualidade de Diego tem sido demonstrada ao longo de toda a sua carreira. Não necessariamente um baixo percentual de bolas defendidas está ligada apenas ao dono da meta, mas também à proteção defensiva como um sistema único. Fato é que, provavelmente, o Valencia se assustou com tal rendimento e resolveu recomeçar do zero na posição.

​​