Lua de mel com a torcida: Fla encara o Inter de casa cheia para selar a paz

Lua de mel com a torcida: Fla encara o Inter de casa cheia para selar a paz

Uma trégua entre flamenguistas e o elenco foi acordada nos últimos dias. Depois da turbulenta cobrança dos torcedores no elenco no Aeroporto do Galeão, antes do jogo contra o Ceará, no Castelão, passou dos limites, mas a resposta veio em campo. O Flamengo assumiu a ponta do Brasileiro e encaminhou a vaga na Copa do Brasil e na Copa Libertadores. Agora, neste domingo, diante do Internacional, as 16h (de Brasília), no Maracanã, tem a chance de selar de vez a paz e iniciar dias melhores em 2018.

Desde o início do ano, o Flamengo não viveu em total paz. O bom início no Campeonato Carioca não apeteceu os torcedores. Ainda mais com a irregular campanha inicial na Copa Libertadores. A vaga está encaminhada - basta vencer o Emelec (EQU) - mas muito pelas vitórias do River Plate (ARG), líder do grupo do Fla. Porém, no Brasileiro, a coisa foi diferente. Em três partidas, são sete pontos e a primeira colocação.

Apesar dos três adversários iniciais não serem considerados os mais fortes - Vitória, América-MG e Ceará - o Fla fez o dever de casa. Vale lembrar, que empatou fora de casa com os baianos com um jogador a menos (expulso erroneamente) desde os nove minutos de jogo. Sendo assim, diante do Internacional, com mais de 50 mil torcedores no estádio, é hora de mostrar que esse Flamengo não está para brincadeira e veio para brigar por coisas maiores.

- Fico feliz em saber que já tem essa quantidade de ingresso vendido. Sabemos da força da nossa torcida nos jogos em casa. Agora é saber aproveitar da melhor maneira possível - destacou Henrique Dourado, que é o artilheiro do time no Brasileiro, com dois gols.

Para se manter na liderança do Campeonato Brasileiro basta o Flamengo presentear sua torcida com mais uma vitória. E o Colorado será o primeiro grande desafio do Rubro-Negro neste nacional. Com mais de 50 mil vozes apoiando, é a grande chance que Maurício Barbieri e seus comandados possuem de selar a paz. O negócio é não vacilar.